Caxias confirma caso de raiva em morcego e alerta sobre cuidados

Este é o primeiro caso da doença desde 2020

Após a confirmação de um caso de raiva em um morcego em Caxias do Sul, ocorrido em abril, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), por meio da Vigilância Ambiental em Saúde, alerta sobre os cuidados que precisam ser tomados.

Morcegos infectados com raiva podem transmitir a doença a outros animais ou mesmo a humanos. Por isso, segundo Rogerio Poletto, médico veterinário da Vigilância Ambiental em Saúde, a orientação é nunca manusear os morcegos diretamente. O ideal, explica, é utilizar baldes, caixas ou vassouras e jamais tocar no animal, até o contato com a Vigilância Ambiental para orientações ou recolhimento. Conforme o veterinário, morcegos que estiverem fora de sua colônia, mortos ou aparentando fraqueza, devem ser submetidos a análise. O animal pode ser encaminhado à Vigilância Ambiental em Saúde, para que seja submetido a teste em laboratório de referência.

Ao todo já foram encaminhados para pesquisa de raiva em 2022 material de 36 animais, sendo 33 morcegos, um cão, um gato e um bugio, mas apenas o teste de um morcego resultou positivo. O mamífero foi encaminhado por uma pessoa que o encontrou desfalecido no chão no Centro da cidade. Como o animal foi apanhado com a mão, o morador foi encaminhado para realizar soro e vacina antirrábica.

A SMS orienta que em caso de possível exposição ao vírus da raiva, seja por mordedura, lambedura e/ ou arranhadura de animal, deve-se lavar imediatamente o local com água corrente e sabão em abundância e procurar assistência médica para, se necessário, aplicação de vacina e/ou soro antirrábico.

A Vigilância Ambiental em Saúde fica na Rua Ernesto Alves, 1922, Centro, e o telefone é 3901-2503.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *