Judoca do Recreio da Juventude garante classificação para o Grand Prix Nacional Paralímpico

Competição será disputada pelo atleta Marcelo Casanova no complexo esportivo do Comitê Paralímpico Brasileiro, em São Paulo

Marcelo Casanova – Crédito RJ

Em 2019, antes da pandemia, o jovem caxiense Marcelo Adriano de Azevedo Casanova, atleta do Recreio da Juventude, tentou classificação para o Grand Prix Nacional Paralímpico de Judô, e devido à avaliação médica não conseguiu disputar a competição. Em 2021, aos 18 anos de idade, o estudante retornou à capital paulista acompanhado do técnico Giovani Cruz, quando foi classificado na classe visual B3, para quem consegue ter definição de imagens (a B1 é de atletas totalmente cegos e a B2 para quem consegue ter a percepção de vultos).

Casanova tem albinismo, distúrbio genético que se caracteriza pela ausência total ou parcial de melanina, pigmento responsável pela coloração da pele, dos olhos e dos pelos. Também por isso ele tem a capacidade visual reduzida. Estudante do 3º ano do ensino médio do Colégio São José e estagiário numa empresa no setor de Tecnologia da Informação (TI), Casanova é atleta do Recreio da Juventude há 10 anos. A semente cultivada na década passada germinou e colocou Caxias do Sul no mapa do paradesporto nacional.

A competição que será disputada entre esta quinta-feira (1º) e sábado (4), no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, no Parque Fontes do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo, reunirá atletas da Seleção Brasileira que disputaram os Jogos Paraolímpicos de Tóquio. No Grand Prix, explica o treinador, podem surgir convites para iniciar uma nova etapa de treinamentos. “Estamos desbravando um mundo completamente novo. Sem falsa modéstia, o Marcelo já ganhou muita visibilidade em outras competições. Que esse feito, futuramente, estimule a formação de novos atletas paralímpicos”, projeta o técnico Giovani Cruz.

Antes de seguir para São Paulo Casanova participou do Campeonato Estudantil Paradesportivo do Rio Grande do Sul (Paracergs), sagrando-se campeão da competição de judô disputada em setembro em Porto Alegre. Na capital paulista ele foi campeão nas Paralimpíadas Escolares de 2021 na semana passada, único judoca da delegação gaúcha. A Paralimpíada é considerada o maior evento do mundo para crianças e adolescentes com deficiência e que estão em idade escolar. Em 2021 foram cerca de 900 alunos de 25 Estados que disputaram 13 modalidades.

Marcelo treina diariamente no complexo esportivo do Recreio da Juventude, em Caxias do Sul, e diz estar eufórico com a participação no Grand Prix. “É um caminho novo que estou percorrendo, sem dúvida me dará muita experiência e serve de entrada para, quem sabe, a Seleção Brasileira”, comenta o atleta.

Crédito da imagem: Recreio da Juventude.

Divulgação Sabe Caxias:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *