Esportes / Cidef/UCS realiza primeiro amistoso do ano

Em Santa Cruz, equipe de basquete em cadeira de rodas fez a estreia dos uniformes para a temporada

Cidef realiza primeiro amistoso do ano – fotos Karine Zanardi

Após meses longe dos compromissos oficiais, o Centro Integrado de Pessoas com Deficiência (Cidef/UCS) foi até Santa Cruz do Sul, no último sábado (28/08), para o primeiro jogo amistoso do ano. A equipe de basquete em cadeira de rodas enfrentou a Associação Santa Cruzense (Aspede), no Ginásio da Unisc. A ação marcou a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla do município da região central do Estado.

A partida foi vencida pelos donos da casa pelo placar de 47×30. O primeiro período terminou com quatro pontos de diferença (10×6); na sequência, a vantagem foi ampliada para 22×16. Na volta do intervalo, o Cidef reagiu e chegou a encostar no placar (23×21), mas foi superado pelo forte ritmo da equipe da Aspede, com destaque para o atleta Roger Rodrigues de Oliveira, com passagens pela seleção paralímpica de basquete em cadeira de rodas.

Além disso, foi realizado um tempo extra de jogo, entre os atletas iniciantes de ambas as equipes. Uma oportunidade para que todos pudessem experienciar a modalidade. A partida foi transmitida ao vivo pela página do Cidef no Facebook (@cidefcxs).

Mesmo com o resultado adverso, a comissão técnica da equipe acredita na força do grupo, que passa por um processo de renovação e reestruturação. “Foi um momento bem importante para todos, de retomada e isso nos dá esperança. Voltar às quadras é muito bom, a gente gosta de fazer isso e vale para todos os atletas sentirem a quadra, dos mais novos aos experientes. Isso dá mais ânimo nos treinos e para chegarmos ao nosso objetivo. Mesmo com calendário reduzido, vamos continuar treinando semanalmente, nos preparando para voltar à elite do BCR”, destaca Daniel Borges, coordenador técnico do Cidef.

O amistoso marcou, ainda, a estreia dos novos uniformes do Cidef, que serão utilizados durante a temporada 2021/2022. Os fardamentos foram adquiridos por meio do Financiamento Municipal de Desenvolvimento do Esporte e Lazer de Caxias do Sul (Fiesporte) e confeccionados pela Catera Esportes. Além dos calções e regatas de jogo, o grupo receberá ainda um segundo uniforme, na cor branca, e trajes de passeio.

O Cidef conta com apoio dos Postos SIM, Universidade de Caxias do Sul, Lojas Havan, Pettenati, CFC Juvenil, Go Bike Shop e Equipar Veículos. No mês de setembro, a equipe deve participar de um triangular da modalidade, em Três Coroas.

Sobre o basquete em cadeira de rodas:

Uma das modalidades paradesportivas mais antigas da história, o BCR  começou a ser praticado por ex-soldados norte-americanos, após a 2ª Guerra Mundial. No Brasil, foi a primeira modalidade para pessoas com deficiência a ser praticada nacionalmente, a partir do ano de 1958, no Clube do Otimismo, no Rio de Janeiro, por iniciativa do atleta Robson Sampaio de Almeida e do técnico Aldo Miccolis.

O BCR esteve presente em todas as edições já realizadas dos Jogos Paralímpicos. Durante uma partida oficial, são disputados quatro quartos de 10 minutos cada. As dimensões da quadra e a altura da cesta seguem o padrão do basquete olímpico, assim como o tempo de posse de bola (24 segundos). Os atletas devem quicar, arremessar ou passar a bola a cada dois toques dados na cadeira.

No Brasil, a modalidade é dirigida pela Confederação Brasileira de Basquete em Cadeira de Rodas (CBBC). As cadeiras de rodas utilizadas por homens e mulheres são adaptadas e padronizadas pelas regras da Federação Internacional de Basquete em Cadeira de Rodas. Na classificação funcional, os atletas são avaliados conforme o comprometimento físico-motor em uma escala de 1 a 4,5 (grau de deficiência). A soma desses números da equipe em quadra não pode ultrapassar 14.

*Com informações do Comitê Paralímpico Brasileiro

Divulgação Sabe Caxias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *