Prefeito exalta desenvolvimento tecnológico em Caxias

Manifestação foi feita durante a abertura da primeira Feira Brasileira de Grafeno, na UCS

 

Crédito
João Pedro Bressan

O prefeito Adiló Didomenico foi um dos anfitriões da visita do presidente da República, Jair Bolsonaro, na tarde desta sexta (09/07), a Caxias do Sul. Após recepção no Aeroporto Hugo Canterggiani, a programação concentrou-se na Universidade de Caxias do Sul (UCS), onde foi oficializada a inauguração da planta industrial de grafeno e aberta a 1ª Feira Brasileira de Grafeno, com exposição de vários desenvolvimentos para diferentes aplicações industriais. Por volta de 16h30, o presidente seguiu viagem para encontro e jantar com empresários e lideranças locais e regionais, em Bento Gonçalves.

Em sua manifestação na abertura da feira, que reuniu em torno de 100 pessoas, o prefeito destacou o trabalho silencioso feito pela comunidade, em seus diversos segmentos, para o desenvolvimento social e econômico da cidade. Deu ênfase ao movimento da UCS, que atende uma prioridade nacional que é de produzir conteúdos de alta tecnologia para exportação e não apenas commodities. “Aqui está o Brasil que deu certo”, enfatizou.

Adiló Didomenico enfatizou que a região precisa, de forma urgente, de melhorias na infraestrutura. Assinalou a importância do novo Aeroporto Regional de Vila Oliva, que já tem recursos federais envolvidos, e disse esperar que a assinatura do contrato para a construção do equipamento ocorra ainda neste governo, com a presença de Bolsonaro. Mencionou o projeto do Porto de Arroio do Sal e as ações para a localização de um braço ferroviário na região. Aproveitou e antecipou convite para que o presidente esteja presente à Festa da Uva de 2022, confirmada para o período de 18 de fevereiro a 6 de março.

Em seu pronunciamento, o presidente da República lembrou do início do seu envolvimento com o grafeno, quando foi visitar a extração do minério em Miracatu, e levou a ideia de exploração para a Universidade Mackenzie. “Muitos, demonstrando ignorância, desdenharam da ideia. Hoje, podemos dizer que o grafeno e nióbio são o futuro do Brasil. Em uma década, os produtos a partir destes minérios gerarão trilhões de dólares para a economia”, enfatizou. Revelou que, durante a visita à exposição, sugeriu o desenvolvimento de uma superbateria para reduzir a atual importância dos combustíveis fósseis. O presidente encerrou o pronunciamento dizendo que, dentre todas as cidades que já visitou, Caxias do Sul foi uma das quais foi melhor recebido.

O presidente da Fundação Universidade de Caxias do Sul, José Quadros dos Santos, e o reitor da UCS, Evaldo Kuiawa, enfatizaram o trabalho feito para a consolidação do projeto. Quadros argumentou que Caxias tem condições de transformar-se no grande polo de desenvolvimento do grafeno. “Basta uma ajuda”, complementou. Um dos principais produtos inovadores que podem surgir são os acumuladores de energia. Lembrou que, nesta semana, o deputado Giovani Cherini, protocolou projeto, na Câmara Federal, definindo a UCS como Vale do Grafeno e do Nióbio no Brasil. Na feira, dentre outras aplicações, estão o primeiro vergalhão do mundo em grafeno, a primeira fibra de tecido para camisas, tinta aeroespacial e capacetes.

A comitiva do presidente teve as presenças dos ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes; da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes; Luiz Eduardo Ramos, da Casa Civil; Onix Lorenzoni, da Secretaria-Geral; Augusto Heleno, do gabinete institucional; Milton Ribeiro, da Educação; e Carlos França, das Relações Internacionais. A programação foi acompanhada por lideranças políticas e empresariais.

Sabe Caxias Divulgação:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *