Artigo: Alarme na terra do Karl Marx por Moah Sousa

Moah Sousa – jornalista – produtor cultural

Moah Sousa – jornalista e produtor cultural

Matéria publicada recentemente no site do El País mostra que a Alemanha detectou o perigoso aumento do extremismo de direita durante a pandemia da Covid-19. Este setor se tornou mais radical e violento neste periodo, diz o texto do veículo espanhol.

O ministro do Interior, Horst Seehofer, revelou que os serviços secretos detectaram mais pessoas com atitudes violentas. “Estamos em situação de alarme”, disse o ministro durante a apresentação do relatório do Escritório Federal de Proteção à Constituição (BfV), nome da agência de inteligência policial alemã.

Qualquer semelhança com as atitudes dos apoiadores do governo do impávido colosso pode não ser uma mera coincidência, mas uma tendência que se verifica em muitos países do redondo planeta terra.

Por aqui, milicianos seguem dando as cartas no Palácio da Alvorada. Atacam os direitos do povo, corrupção, desemprego e inflação galopante. Na saúde, sabotaram a luta contra a pandemia e mandaram mais de meio milhão de brasileiros aos jardins das saudades.

Historiadores de distintas correntes de pensamento classificam o governo Bolsonaro como genocida. O pior da história do país.

Há anos e anos, Lord Byron, o venenoso poeta inglês, se valeu da botânica para reafirmar uma verdade ao mundo: “Os espinhos que colhi, são da árvore que plantei.” Moral da poesia: Quem semeia Jair, pode ter um agricultor por fora, mas sempre será um fascista por dentro.

Divulgação Sabe Caxias:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *