Covid-19: Confira as ações da Prefeitura de Caxias em seis meses de pandemia

Do primeiro caso registrado em março à transfusão inédita de plasma, veja o que município fez para o enfrentamento do coronavírus

Foto Andréia Copini

Neste dia 11 de setembro, Caxias do Sul completa seis meses na pandemia do coronavírus. Desde o início, lá em março, a Prefeitura de Caxias do Sul planejou diversas ações e medidas para conter a disseminação da Covid-19. O primeiro caso na cidade foi registrado em 11 de março. Em 16 março, foi instituído o Gabinete de Crise. Em 19 de março, o grupo avaliou o cenário e, visando o achatamento da curva epidemiológica, decretou o isolamento social para restringir a circulação de pessoas.
Uma das primeiras ações foi acolher a população de rua. Em 23 de março, uma estrutura foi montada nos Pavilhões da Festa da Uva para abrigar os moradores. No início dos trabalhos, cerca de 200 pessoas foram atendidas, com alimentação e banho, além de cama e atividades organizadas pelas secretarias.
A Prefeitura também iniciou a sanitização de espaços públicos. Até o momento, já foram sanitizados mais de 300 locais diferentes, com foco no entorno de hospitais, UPAs, UBSs, paradas de ônibus, entre outros, diariamente.
Em 2 de abril, ocorreu a abertura de estruturas externas, em frente às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Central e Zona Norte, para realizar a triagem de pacientes com síndrome gripal, evitando que eles permaneçam no mesmo ambiente em que se encontram pessoas com outros casos clínicos e as contaminem.
Para esclarecer dúvidas da população sem que ela necessite sair de casa, a Prefeitura de Caxias do Sul disponibilizou, desde 17 de abril, o chatbot “CoronaBot”. A ferramenta, que fica disponível no canto inferior direito do site (caxias.rs.gov.br), a partir de uma série de perguntas previamente programadas sobre os sintomas que a pessoa está sentindo, orienta o que deve ser feito, inclusive indica a Unidade Básica de Saúde (UBSs) mais próxima, de acordo com a localização do usuário. O “CoronaBot” utiliza como base dados do Ministério da Saúde e das secretarias de saúde do Estado e do Município.
A Vigilância Sanitária vistoriou mais de 2,5 mil estabelecimentos durante o início da pandemia. As equipes de fiscalização verificam, principalmente, se os estabelecimentos fornecem os EPIs para os funcionários, quando há exigência para isso, o fornecimento de álcool gel para clientes e colaboradores, higienização dos ambientes, controle para evitar aglomeração de pessoas e o uso de máscara.
Já a Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU), desde o início dos decretos, em meados de março, recebeu mais 5,4 mil denúncias via Alô Caxias, telefone 156, e canais da pasta. Foram realizadas cerca de 4,6 mil vistorias em estabelecimentos com 617 advertências verbais e 92 interdições. O uso obrigatório de máscaras foi instituído a partir de 4 de maio, com multa de até R$ 172,45 em caso de descumprimento.
Também desde o dia 4 de maio, a Unidade Básica de Saúde (UBS) Eldorado começou a operar com horário estendido. Além dela, as UBSs Desvio Rizzo, Diamantino, Esplanada, Reolon e Vila Ipê já fazem parte do Programa Saúde na Hora.
Em maio, a Prefeitura e o Governo do Estado abriram 10 leitos de cuidados intensivos no Hospital Geral. Ainda nesse mês, a Prefeitura implantou o 1º Hospital de Campanha de Caxias do Sul, localizado dentro do Hospital Virvi Ramos, com 49 leitos para tratamento de pacientes de grau leve e moderado e mais 5 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), abertos no dia 8 de junho. Outro Hospital de Campanha foi montado no Pompéia, com 29 leitos ampliados, sendo 7 leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 7 leitos em Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e 15 leitos de isolamento em Unidade de Internação Clínica (UI).
Em 22 de junho, a Prefeitura contratualizou um leito no Hospital do Círculo. E em 09 de julho abriu-se outros 8 leitos no Hospital Geral. No fim de julho, no dia 29, foram abertos mais 8 leitos no Hospital Virvi Ramos. Com isso, dos 34 leitos no início de 2020, o município conta hoje com 73, ou seja, um aumento de 114% na oferta dos leitos de cuidados intensivos. A ampliação da capacidade hospital faz parte do Plano de Contingência do Município para enfrentar a pandemia.
A SMS ampliou, em 15 de junho, os grupos de testagens incluindo pessoas acima de 50 anos, gestantes e puérperas. Além desses, são testados profissionais da saúde, profissionais da segurança penitenciária, profissionais da Guarda Municipal, Fiscalização Municipal de Trânsito, Brigada Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Trânsito e do Instituto Geral de Perícias com sintomas gripais e pacientes em internação hospitalar por síndrome gripal, seguindo os critérios do órgão. O Município, em 21 de maio, iniciou a realização de testes para diagnóstico da Covid-19 no Laboratório Municipal da Central de Exames Complementares, o qual tem capacidade para fazer até 96 exames por dia utilizando o método RT-PCR.
Em 8 de maio, a Prefeitura de Caxias do Sul lançou o Painel de Monitoramento da Covid-19 com objetivo de ser ainda mais transparente e informar sobre internações, recuperações, óbitos e bairros em que residem as pessoas infectadas pelo coronavírus. O painel é responsivo e pode ser feito por qualquer cidadão por meio do link https://covid.caxias.rs.gov.br. Neste período, mais de 480 mil pessoas já acessaram o site.
Em 13 de maio iniciou a testagem em casas de longa permanência de idosos. Até hoje, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) aplicou 2.489 testes rápidos em 33 casas asilares e congregações religiosas para diagnosticar possíveis casos de Covid-19.
A Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM) vistoria diariamente a lotação dos ônibus do Transporte Coletivo Urbano. A ação objetiva a redução do excesso de usuários dentro dos veículos da concessionária.
Em 26 de maio, na tentativa de criar anticorpos e auxiliar na cura de pacientes graves da Covid-19, o Hospital Virvi Ramos realizou a 1ª transfusão de plasma convalescente em um idoso de 63 anos, o qual teve alta da UTI em 15 de junho. Desde o início da campanha de doação de plasma, o Hemocs já recebeu 209 candidatos. Até o momento, já foram feitas 40 doações e …  transfusões nos Hospitais Virvi Ramos (Caxias), Tacchini (Bento Gonçalves) e Hospital Schalatter (Feliz). A transfusão foi pioneiro no Estado do Rio Grande do Sul.
No dia 10 de junho, começou a operar a 2ª Unidade de Suporte Avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), também conhecida como UTI Móvel, composta por um médico, um enfermeiro e um condutor-socorrista, a qual também auxilia em atendimentos de pacientes suspeitos e confirmados da Covid-19.
Em 28 de julho, a SMS iniciou a testagem para identificar a presença da Covid-19 em profissionais e residentes em clínicas psiquiátricas que possuem convênio com o município.
Em 1º de setembro, iniciou a testagem nas pessoas com síndrome gripal do município, por meio do método RT-PCR.
O Gabinete de Crise segue se reunindo semanalmente para debater intervenções que possam minimizar os efeitos da pandemia na cidade. Além das medidas já citadas, em 06 de abril, foi decretado estado de calamidade pública. A Prefeitura suspendeu cirurgias eletivas, visando diminuir o fluxo nos hospitais. Também foram remanejados servidores respeitando os grupos de risco, além de chamar todos os médicos aprovados em concurso público.

Conheça o programa SABE CAXIAS by BITCOM:

Segue o link:

Sabe Caxias by Bitcom – 10/09/2020

Sabe Caxias by Bitcom – 10/09/2020Assuntos de seu interesse

Posted by Bitcom TV on Thursday, September 10, 2020

Cafeína Talk Show  – todas as sextas um novo convidado.

Cafeína Talk Show – 21/08/20 – Guto Agostini

Miguel Brambiila entrevista no Cafeína Talk Show desta semana o radialista e músico Guto Agostini.

Posted by Bitcom TV on Friday, August 21, 2020

MÚSICA

 

Evolução dos casos: Em 11 de março foi registrado o primeiro caso na cidade de um paciente que veio da Itália. Era o 53º caso registrado oficialmente no Brasil.Atualmente, são 6.492 casos, sendo 5.253 recuperados. Os bairros com mais casos são Santa Catarina (358), Santa Fé (317) e Ana Rech (250). Já a faixa etária de maior contaminação é de 30 a 39 anos, sendo 1.618 casos; seguida pela faixa de 19 a 29, com 1.282 casos.
O primeiro óbito, de um cidadão caxiense de 63 anos, ocorreu no estado da Bahia, no dia 02 de maio. De lá pra cá, a cidade registrou mais 114 óbitos por complicações em decorrência do coronavírus, sendo 66 masculinos entre 32 e 94 anos e 49 femininos entre 33 e 97 anos. Os bairros com maiores registros de óbitos são Santa Catarina (11), Desvio Rizzo (11), Santa Fé (6) e Esplanada (6).

Investimentos na pandemia: Para o enfrentamento à emergência da Covid-19, o município recebeu recursos específicos no total de R$ 51.913.527,04. Desse total, R$ 47.367.527,04 vieram de portarias federais e LC 173/2020; outros R$ 880.000,00 de portaria e emenda parlamentar estadual; R$ 3.504.000,00 provenientes de habilitações de leitos de UTI (HG 10, HP 7 e HVR 5); e R$ 162.000,00 de sentenças judiciais. Destes recursos, foram investidos R$ 40.410.833,23 em materiais, equipamentos de proteção individual, equipamentos, toldos e estruturas externas, compras de testes, hospitais de campanha, leitos, desinfecção, custeio de folha de pagamento de profissionais da linha de frente, entre outros.

 

Segundo o secretário municipal da Saúde, Jorge Olavo Hahn Castro, nesses mais de R$ 40 milhões investidos apenas na pandemia, a maior concentração de recursos foram aplicados em leitos e na proteção dos profissionais da saúde. “Nesse montante está também a manutenção de todos os leitos abertos e dos hospitais de campanha até o dia 30 de novembro de 2020. Com o acompanhamento do cenário, estimamos que progressivamente estes leitos sejam desativados. Temos uma reserva técnica financeira (R$ 11 milhões – que não podem ser usados para compra de bens permanentes ou reformas), visto que em muitos países houve a segunda onda da pandemia”. O titular da SMS também salienta que estes recursos são específicos para o enfrentamento da pandemia até 31 de dezembro de 2020, segundo normativa do Ministério da Saúde.
Para o Prefeito Flávio Cassina, a pandemia trouxe uma união de esforços conjuntos na cidade, visando o enfrentamento da doença até então desconhecida. “Com muito diálogo e transparência chegamos até aqui. Enfrentamos o desconhecido juntos, nos reunindo sempre a cada passo dado com a orientação do Gabinete de Crise, principalmente os profissionais da Secretaria da Saúde. Iniciamos a montagem das estruturas de hospitais de campanha, leitos, para que ninguém ficasse sem atendimento pela Covid-19. E foi isso que aconteceu. Devo reforçar e agradecer os espírito solidário de entidades, sindicatos, empresas que se organizaram, fizeram campanhas de doação de equipamentos e recursos principalmente para os nossos profissionais da saúde. Outras tantas pessoas que doaram alimentos para os necessitados neste período. Seguimos firmes e em frente, porque a pandemia ainda não acabou. Torcemos que daqui pra frente os casos diminuam e que todos possamos a voltar totalmente ao normal. Enquanto isso, mantemos todos os cuidados necessários usando máscaras, álcool gel, evitando aglomerações”, avalia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *