Coronavírus exige cuidado também com a higiene bucal

Coronavírus e Odontologia: caprichar na higiene bucal
pode colaborar para evitar a transmissão
Você sabia que manter a higiene bucal pode auxiliar no conjunto de ações para evitar a transmissão do Coronavírus? Apesar de ainda haver poucos estudos diretos relacionando a Covid-19 com a Odontologia, é muito importante que a assepsia e a higiene bucal sejam observadas também por esse viés, principalmente em relação à saúde geral das pessoas.  Por regra de analogia, podemos considerar o Coronavírus um microrganismo e, como tal, pode ser tratado como todos os microrganismos patológicos em Odontologia.

O Coronavírus é um microrganismo responsável pela Covid-19, uma doença capaz de causar infecções respiratórias, cujos principais sintomas são febre, tosse e, em casos mais graves, pneumonia, podendo levar ao óbito. Como o contágio da doença acontece por meio de pessoas infectadas que transmitem o vírus pela tosse, espirro, coriza e gotículas de saliva, manter a cavidade bucal livre de patógenos infecciosos é de extrema importância neste momento de pandemia, onde há intensa propagação do novo Coronavírus.

“A higiene bucal regular confere uma possibilidade de menor população de Coronavírus a serem dispersos para outra pessoa durante a fala. Ainda não temos pesquisas que provem isso, no entanto, parece ser bastante racional, comparando com o comportamento de outros microrganismos”, observa o professor e coordenador do curso de Odontologia da FSG, Rogério Elsemann. Abaixo, ele cita algumas informações sobre o assunto e dicas importantes para manter a higiene, ressaltando que neste momento o fundamental é lavar as mãos regularmente, utilizar máscaras, respeitar o distanciamento social, evitando reuniões em ambientes fechados, e ficar a dois metros de distância das pessoas, mesmo quando estiver ao ar livre.

 

Saiba mais:

– Como a higiene bucal pode ajudar a combater o Coronavírus? É possível ou isso é mito?

Cabe destacar que a escovação dentária, a limpeza da língua, bochechos e gargarejos com enxaguatório bucal anti-séptico, bem como o uso do fio dental, confere condições para diminuir a população de microrganismos patológicos na cavidade oral, considerando que as gotículas de saliva que são expelidas durante a fala é uma forma de contaminação. Lembrando que a escovação deve ser feita ao acordar, após as refeições e antes de dormir, com escova de cerdas macias e creme dental com flúor.

– Nesse sentido, o que as pessoas podem fazer em casa?

A higiene, tanto pessoal como dos ambientes, continua sendo uma boa arma contra o Coronavírus. A higiene bucal, por meio da escovação dentária e o uso do fio dental, é essencial para a saúde geral do paciente, além de contribuir para a diminuição de microrganismos na cavidade bucal. Antes de realizar a higiene bucal é muito importante lavar bem o rosto e as mãos até o pulso e entre os dedos, pois podem estar contaminados devido ao contato com diversos materiais e superfícies. Além disso, evitar levar as mãos à boca, aos olhos e nariz. O álcool em gel a 70% pode ser utilizado, mas uma correta lavagem das mãos com sabão e água corrente é eficaz.

ASSISTA AO PROGRAMA SABE CAXIAS BY BITCOM – CONTEÚDOS DE SEU INTERESSE

Acesse o link:

Sabe Caxias by Bitcom – Ao Vivo – 06/04/2020

Sabe Caxias by Bitcom – Ao Vivo – 06/04/2020Assuntos de seu interesse.rtes

Posted by Bitcom TV on Monday, April 6, 2020

 

Não se esqueça:

Segundo o Ministério da Saúde, existem alguns protocolos que devemos seguir:

– Evitar aglomeração de pessoas em qualquer ambiente;

– Manter a distância de 2 metros entre pessoas para evitar que gotículas de secreções atinjam outra pessoa;

– Fazer a higiene frequente dos ambientes com desinfetantes, principalmente de locais onde há a necessidade de contato físico, como bancadas e maçanetas;

– Lavar frequentemente as mãos com água e sabão, ou, quando isto não for possível, utilizar o álcool em gel 70%;

– Utilizar máscara sempre que sair de casa para impedir que gotículas de espirro ou saliva se espalhem pelo ambiente, uma vez que há a transmissão via contato com gotículas originadas pelo falar, tossir e espirrar. A máscara serve como barreira física e auxilia a minimizar as chances tanto de contaminar como de ser contaminado por outra pessoa.

– Neste momento, recomenda-se procurar o seu cirurgião-dentista somente em caso de urgência ou emergência. Procedimentos eletivos ou estéticos devem ser adiados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *