CAAF reúne agroindústrias associadas nesta terça-feira (17/12)

Evento no Sebrae tem o objetivo de celebrar as conquistas de 2019 para os empreendimentos da agricultura familiar

A Cooperativa de Agricultores e Agroindústrias Familiares (CAAF) reunirá seus associados proprietários de agroindústrias nesta terça-feira (17/12), para um evento de encerramento do ano de 2019. Juntamente com o Sebrae RS, promove um encontro, às 19 horas, que terá a palestra de Adroaldo Lamaison – “Renovar os valores da família, do amor e da vida”. O evento para convidados será na sede do Sebrae (Rua Sinimbu, 816, Caxias do Sul), entidade parceira da Cooperativa na realização de programas de aperfeiçoamento para os agricultores associados à Cooperativa.

A CAAF possui 18 agroindústrias associadas, adequadas à legislação para funcionamento e comercialização de seus produtos. Há alguns anos, a Cooperativa, em parceria com outras entidades, vem auxiliando os produtores na execução das diferentes etapas para a regularização dos empreendimentos. E 2019, foi o ano da concretização do processo.

Uma das principais conquistas foi a obtenção do alvará sanitário para 16 empreendimentos (dois já atendiam as normativas para elaboração de suco de uva). As agroindústrias associadas à CAAF fabricam pães, bolos, massas, biscoitos, doces de fruta, extrato de tomate, rapadura, barrinhas de cereal, suco de uva e produtos minimamente processados.

Conforme a responsável Técnica da CAAF, Mariane Reghelim, várias etapas precisaram ser cumpridas, com adequações e elaboração de documentos, visando a atender as exigências para encaminhar o alvará sanitário. Com o intuito de auxiliar seus associados no cumprimento da legislação, a CAAF contou com a parceria de outras instituições, como o Sebrae, que elaborou programas de aprimoramento para desenvolver as agroindústrias, abordando, entre outros temas, a ampliação dos mercados, fluxo de caixa e marketing. Com o poder público municipal, por meio da Vigilância Sanitária, foram promovidas capacitações e orientações, e as secretarias da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a de Urbanismo deram apoio com informações para encaminhamento do alvará de localização, por exemplo.  Com a Universidade de Caxias do Sul, a cooperação foi com o TaliesEM – Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo da UCS, que realizou estudos para a elaboração da planta baixa dos empreendimentos. A CAAF também contou com apoio da EMATER.

O trabalho desenvolvido é aprovado pelo agricultor Martinho Rech, associado à CAAF e proprietário da agroindústria HortiMR, em Ana Rech, interior de Caxias do Sul. A família prepara minimamente processados com couve-flor, moranga, cenoura, beterraba, brócolis, chuchu, repolhos e outras verduras. De 2015 para cá, ele precisou fazer as adequações em seu empreendimento, que antes era destinado à fabricação de embutidos. Com as adaptações, ele viu novos mercados surgirem para seus produtos. “Em 2019, avaliamos como um ano muito bom, pois além de entregar nossos produtos em feiras, como já fazíamos antes, agora vendemos nossa produção em mais estabelecimentos comerciais, como supermercados”, avalia Rech.

A legislação sanitária prevê que os estabelecimentos produtores/ industrializadores de alimentos devem se adequar às resoluções (RDC 216,  RDC 275, dentre outras) de competência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Essas resoluções dispõem sobre regulamentação técnica de boas práticas para serviços de alimentação e para procedimentos operacionais padronizados.

A CAAF

A Cooperativa dos Agricultores e Agroindústrias Familiares de Caxias do Sul (CAAF) é formada por pequenos agricultores familiares de Caxias do Sul e região (produtores de hortaliças, frutas e agroindustrializados). A produção de seus 272 cooperados atende, diariamente, instituições de Caxias do Sul e região que recebem os produtos da CAAF na alimentação escolar. Além disso, a cooperativa abastece mercados institucionais, como quartéis e hospitais, e outras instituições de ensino da região. A Cooperativa também atua em parceria com o governo do Estado do Rio Grande do Sul e com o governo federal, por meio dos Programas Nacionais de Aquisição de Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *