Economia caxiense fecha primeiro trimestre com crescimento de 12,2%

Indicadores foram divulgados pela CIC e CDL nesta quinta-feira

A economia de Caxias do Sul registrou crescimento de 6,8% no mês de março, em comparação com fevereiro, garantindo um desempenho positivo no primeiro trimestre do ano. A alta foi de 12,2% no período de janeiro a março. O acumulado dos últimos 12 meses também registrou crescimento: 9,2%. Os números do desempenho da economia local foram divulgados pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) nesta quinta-feira (3).

Por setores, na relação entre março e fevereiro, o levantamento indica índices de crescimento de 5,9% na indústria, 6% no comércio e 8,7% nos serviços. Um dos motivos deste bom desempenho, segundo a diretora de Economia, Finanças e Estatística da CIC Maria Carolina Gullo, é que março é um mês com mais dias úteis do que fevereiro e tradicionalmente de maior atividade econômica. Ela ressaltou o comportamento dos serviços, o último setor a sair da crise e que no comparativo entre março de 2018 com março de 2017 aumentou em 11,7%. “Este segmento também retomou a sua curva de crescimento”, observou Maria Carolina.

Avaliação mais detalhada do comportamento da indústria aponta que, em março, houve crescimento de 10% nas vendas e de 10,8% nas compras em relação a fevereiro deste ano. Índices de alta também foram registrados nos itens “utilização da capacidade instalada” (0,7%), “horas trabalhadas” (8,6%) e em “massa salarial (2,5%)”.

O bom desempenho da economia de Caxias do Sul também foi comemorado pelo diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Astor Schmitt. Segundo ele, a economia local sofreu mais do que a de qualquer outro município, mas também se recupera com mais rapidez do que até mesmo o estado e o País, cujo crescimento médio ficou abaixo dos números apresentados por Caxias do Sul. As razões estão no bom desempenho do agronegócio em 2017 e 2018; na retomada dos empregos – o que impacta no consumo -; e na aceleração da cadeia automotiva, um dos motores da economia caxiense.

Astor Schmitt, no entanto, alertou para a possibilidade de alguns fatores conjunturais atrapalharem a continuidade deste bom desempenho recente, como as incertezas do cenário político e institucional brasileiro, “que não inspira tranquilidade”, e o aumento surpreendente na taxa do dólar.

Empregos – Em março, Caxias do Sul apresentou leve crescimento no mercado formal de trabalho, com a criação de 337 vagas, o que leva a um total de 161.609 postos de trabalho com carteira assinada. Nos primeiros três meses do ano foram gerados 3.662 empregos, uma variação positiva de 1,9%. Indústria e serviços foram os setores que mais criaram postos de trabalho em março. Comércio, construção civil e agropecuária, porém, registraram corte de vagas. “Ainda estamos longe dos quase 184 mil postos de trabalho formais que tivemos em 2013, mas estamos retomando a geração de empregos de forma lenta e gradual”, pontuou a economista Maria Carolina.

Mercado externo – As exportações cresceram 1,4% no acumulado dos últimos 12 meses e as importações, 46,6%, fazendo com que o saldo da balança comercial caxiense registrasse desempenho negativo de 15,8% no período de abril de 2017 a março de 2018.

Também participaram da apresentação do desempenho a vice-presidente de Serviços da CIC, Maristela Tomasi Chiappin, o diretor-executivo da CIC, Gelson Dalberto, o diretor da CDL Ricardo Comandulli, o assessor de Economia e Estatística da CDL, Mosár Leandro Ness, e  a assessora de Economia, Finanças e Estatística da CIC, Nara Panazzolo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *