Secretaria da Saúde de Caxias do Sul disponibiliza tratamento e acompanhamento para hanseníase

Neste domingo é celebrado o Dia Mundial de Combate à doença
Anualmente, no último domingo do mês de janeiro, celebra-se o Dia Mundial de Combate à Hanseníase. O objetivo é mobilizar a sociedade, chamando atenção para a importância da prevenção, educação e controle da doença. Neste ano, a data será no próximo domingo (28/01). Em Caxias do Sul, no Ambulatório de Hanseníase, há sete pacientes em acompanhamento ou tratandosequelas, e um recebendo tratamento contra a doença.
 
As ações de busca ativa de casos novos e o tratamento oportuno dos casos diagnosticados contribuem para o alcance da meta de eliminar esse problema de saúde pública. “A hanseníase tem cura, é só procurar atendimento nas Unidades Básicas de Saúde mais próximas, caso tenha alguma alteração suspeita ou se convive ou conviveu com portadores da doença antes de terem sido tratados. Se necessário, o paciente é encaminhado para o Ambulatório de Hanseníase. O acompanhamento e o tratamento são gratuitos”, explica a dermatologista Sabrina Kahler.
 

Ambulatório de Hanseníase do Serviço Municipal de Infectologia localiza-se no 1º andar do Centro Especializado de Saúde(CES), na rua Sinimbu, nº 2231. O telefone é (54) 3217-8833, ramal 215.

publicidade:

Sobre a hanseníase

 
A hanseníase é uma doença infectocontagiosa causada por uma bactéria. De acordo com Sabrina Kahler, o Mycobacterium leprae, ou bacilo de hansen, acomete primeiro a pele e os nervos periféricos, podendo atingir também os olhos e os tecidos do interior do nariz. “O primeiro e principal sintoma é o aparecimento de manchas de cor parda, ou avermelhadas, que são pouco visíveis e com limites imprecisos. Nas áreas afetadas, o paciente pode apresentar perda de sensibilidade térmica, perda de pelos e ausência de transpiração. Quando lesiona o nervo da região em que se manifestou a doença, ocorre dormência e perda de tônus muscular na área”, informa.
 

Segundo a médica, a doença tem progressão muito lenta, podendo demorar até anos antes de aparecerem os seus primeiros sinais. As formas avançadas, quando não tratadas, podem evoluir com sequelas graves para os portadores, inclusive com mutilações e deformidades físicas. A hanseníase é transmitida através de gotículas de saliva eliminadas pela fala, tosse e espirro. A principal fonte de transmissão é a pessoa doente que ainda não recebeu o tratamento medicamentoso. 

Prevenção

 
A melhor forma de prevenir a doença é mantendo o sistema imunológico eficiente. Adotar uma alimentação equilibrada, praticar atividade física, manter boas condições de higiene também ajudam a manter a doença longe, pois, caso haja contato com a bactéria, o próprio organismo se encarrega de combatê-la. Outra dica importante é convencer familiares e outras pessoas que mantiveram contato próximo com algum portador da doença a procurar uma Unidade Básica de Saúde para avaliação, evitando assim a transmissão da bactéria a mais pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *