Sétima edição do Carnaval do Bloco da Velha reúne público recorde de participantes nas ruas de Caxias do Sul

Crédito Daniela Xu

Crédito Daniela Xu

Festividade ocorreu neste domingo, 26 de fevereiro, consagrando o bloco de rua da cidade

como um dos maiores do Rio Grande do Sul

 

         Pelo sétimo ano consecutivo, o Carnaval do Bloco da Velha surpreendeu positivamente os seus participantes. Ultrapassando a marca da última edição, o festejo, que tinha como tema os 100 anos de Samba, reuniu mais de 40 mil foliões em Caxias do Sul, segundo os idealizadores do projeto, Germano Weirich, Guilherme Martinato, Tiago Daltoé, Graziela Martins e Marion Martinato, o maio público já visto em blocos de rua na cidade.

A animação iniciou cedo. Às 12h, os primeiros grupos começaram a se reunir para a concentração em frente à Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Dr. Montaury, 1.570), no Centro da cidade.

Em cima do trio elétrico, o Carnaval do Bloco da Velha abriu o zirimguidum com a discotecagem do DJ Mono, seguido de diversas apresentações da personagem Dona Bastiana, interpretada pelo ator Davi Souza, e dos instrutores de dança do MIXturado. Por volta das 15h, a Banda Bloco da Velha, composta por 15 músicos – Rafa Gubert (voz), Bruna Balbinot (voz), Jonny (bateria), Marcelinho Silva (percussão), Julio Cesar (percussão), Tonico de Ogun (percussão), Marquinhos Nunes (percussão), Paulo Johann (teclado e sax), Marcinho Staggemeier (baixo), Guilherme Pereira (guitarra e cavaco), Bruno Galmini (sax), Gabriel Fraga (trompete) e Samuel Fogaça (trombone) – subiu ao palco cantando o Hino do Bloco da Velha, uma criação de Germano Weirich. O repertório eclético do conjunto reuniu também os mais tradicionais sambas, marchinhas de Carnaval e axé.
Após as 17h, o veículo começou a se deslocar pela Rua Os Dezoito do Forte, em direção aoLargo da  Estação Férrea, sua segunda e última parada. Por lá, uma nova estrutura aguardava os foliões, com a presença de food trucks de diversificada gastronomia, bares, ampliação do sistema de som e iluminação e maior número de banheiros químicos. Além disso, os bares e restaurantes do local também estavam abertos para dar assistência ao público. Quando anoiteceu, as ruas ao redor da Estação Férrea da cidade estavam tomadas de foliões, que curtiram o carnaval até as 22h.

“É incrível ver a evolução do Carnaval de rua de Caxias do Sul. Em 2011, alguns amigos e frequentadores da Do Arco da Velha Livraria e Café comentaram conosco que iriam ficar na cidade no Carnaval e resolvemos nos reunir, alugar um carro de som e fazer 40 abadás. No dia da festa, o que imaginávamos que seríamos em meia dúzia de pessoas, acabou se tornando em 200. No ano seguinte, esse número aumentou, um convidava o outro. Até que na terceira edição, em  2013, resolvemos profissionalizar o projeto. Em cada ano, buscamos ainda mais qualidade, segurança e animação. Procuramos evoluir em todos os sentidos, desde as apresentações até a infraestrutura da festa”, conta uma das idealizadoras do Carnaval do Bloco da Velha, Marion Martinato.

Nesta sétima edição, o projeto teve financiamento da Lei de Incentivo à Cultura (LIC), apoio da Racon e apoio cultural de Ou Martiplast, Alfa Laboratórios, Sorvelândia e Orquídea. A produção musical da festa foi do cantor e compositor Dan Ferretti, que também integrou o elenco de artistas da Banda Bloco da Velha.

 

INFORMAÇÕES
Do Arco da Velha Livraria e Café         

Rua Dr. Montaury, 1.570 – Centro, Caxias do Sul (RS)
(54) 3028.1744

DIVULGAÇÃO
Lato Sensu Comunicação | Natália Lessa
(54) 3214.2699 | 3028.2609

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *