Morte e vida…os desíngios de Deus…por Miguel Brambilla

O Codificador do Espiritismo Alan Kardec...estudou e organizou uma doutrina de fé e esperança para as criaturas.

O Codificador do Espiritismo Alan Kardec…estudou e organizou uma doutrina de fé e esperança para as criaturas.

Conhecer os desígnios de Deus nos momentos de dor, exige coragem, humildade, paciência do espírito que segue em jornada evolutiva em direção ao infinito, a vida eterna. Muitas pessoas sentem-se profundamente indignadas com acontecimentos inexplicáveis aparentemente, do ponto de vista da fatalidade. É preciso estudar as Leis Divinas para que se tenha uma vida mais segura na passagem pela Terra. Planeta de provas e expiações na escala evolutiva dos mundos, a Terra ainda é habitação de almas comprometidas com as leis de causa e efeito, não totalmente equilibradas no sentido de amadurecimento e purificação e por isso, a necessidade da dor. A dor que não é imposição Divina, mas criação das próprias almas que pela utilização do livre-arbítrio tomam decisões errôneas em determinados momentos de suas vidas, em prejuízos aos semelhantes.

As explicações sobre os desencarnes prematuros estão no Evangelho Segundo o Espiritismo. As explicações sobre os desencarnes coletivos, estão nas previsões do apocalipse e também podemos citar o livro Mensagens do Astral, inspirado pelo espírito de Ramatis para o médium Hercílio Maes.

Existem necessidades de resgates urgentes, provas dolorosas por uma questão física de saturação de fluídos deletérios no prontuário cármico de cada criatura, quando estas energias deletérias ainda não foram drenadas de forma salutar para os charcos de transformação e purificação na carne ou fora dela.

A humanidade atual, mais preocupada com a sobrevivência do dia a dia e o acúmulo de riquezas, não está prestando a exata atenção nas mudanças geológicas, nas alterações climáticas, nos acontecimentos da vida e anda pelo mundo como se fosse um ser irracional, por instinto, buscando o prazer a qualquer preço e o acúmulo por vício e não pela simples sobrevivência.

A sensibilização humana com a dor alheia é ainda insuficiente para que se aprofundem o conhecimento e os estudos com relação aos desígnios divinos, e a rebeldia ou a fé cega, além do oportunismo continuam agindo na consciência. Não tardarão agora, no ponto de vista de falsos profetas e cristos as explicações oportunistas do acidente com o time da Chapecoense. Aguardem que seres ansiosos em protagonismo e não em explicação real da vida após a morte, irão lançar livros sensacionalistas com falso consolo e histórias fictícias do tipo “Campeões do Além”, mensagens dos heróis da Chape…e outros similares, meras ficções e irrealidades, por que a discrição dos desígnios de Deus e os comunicados espirituais não se dão desta forma. Assim como surgiram livros falsos da tragédia de Santa Maria e de outros acontecimentos.

Os desígnios de Deus estão em relação ao senso de amadurecimento moral das criaturas, como diz no Evangelho. É importante porém que estude-se os conselhos de Alan Kardec em suas obras e se some ao bom senso de outros escritores para que se tenha uma base sólida da filosofia espírita ou qualquer outra que realmente explique a vida após a morte, a continuidade da consciência, a necessidade da dor como resgate e purificação em mundos de provas e expiação e a necessidade de aceitar a vontade de Deus como sabedoria máxima e plena sobre todas as coisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *