Só parar de roubar que resolve o Brasil – por Miguel Brambilla

A principal, urgente e prioritária medida econômica para o Brasil é acabar com a roubalheira. O resto se resolve fácil. Miguel Brambilla

A principal, urgente e prioritária medida econômica para o Brasil é acabar com a roubalheira. O resto se resolve fácil. Miguel Brambilla

Ninguém mais aguenta ficar falando em crise. As pessoas estão cansadas e descrentes com seus governantes. A política faliu e levou o país junto para o buraco econômico e social. A atividade política no Brasil retrocedeu aos tempos da antiguidade romana, onde muito poucos se preocupavam realmente com a moral e queriam mesmo era estar perto do poder para obter cada vez mais privilégios para si e para os seus.

Alguns até já estão se perguntando se valeu a pena derrubar a Dilma. Outros acreditam com convicção profunda que nunca vai mudar e que é isso mesmo, são todos uns ratos oportunistas.

Mas vivemos um outro Brasil que os políticos, normalmente retardados na compreensão da transformação do contexto social popular, quando deveriam, caso estivessem realmente preocupados com isso, ser os faróis da mudança e da liderança social, ainda não compreenderam totalmente.

A vitrine chamada Rede Social, a facilidade de comunicação, de construção e descontrução de imagens, as possibilidades de debate e mobilização, o filtro do bons senso que acaba sendo dado pelos jornalistas e empresas sérias que peneiram a verdade do ódio, da malícia e da manipulação, não vão permitir que o Brasil pare na sua transformação em busca da honestidade, da moralidade política, da recuperação político-social.

Alguns políticos mais espertos, tentam usar as redes sociais em seu favor, mas como viram que é uma exposição muito grande para o massacre, até pela maneira mofada e retrógrada como continuam usando, desistiram ou recuaram.  Outros, mais radicais e autoritários, pensam na censura, no controle e na privação de liberdades.

As medidas contra a corrupção propostas pelo Ministério Público, são valorosas. Muito mais do que qualquer ajuste administrativo que seja feito as pressas, de forma desesperada e populista, querendo agradar a economia com paliativos.

Se todo o dinheiro roubado do Brasil, por todos os políticos, de todos os partidos voltasse e fosse investido na sociedade, saúde, infra-estrutura, redução de impostos, financiamento empresarial para os micro e pequenos, educação, recuperação da auto estima nacional, não precisava mais nada.

É só parar de roubar. O Brasil é grande, o Brasil é forte, o Brasil é capaz de se recuperar do ataque das ratazanas e gafanhotos da política nacional.

É preciso apoiar com vigor as políticas de transformação moral, criar mecanismos eficientes de defesa do patrimônio público nacional e continuar punindo quem quer que seja, gregos e troianos da política nacional.

Chegará o momento que os honestos vão se animar a combater os desonestos.

O Brasil vai crescer novamente. Chega de roubo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *