A verdadeira mudança só ocorre por dentro…por Miguel Brambilla

Tree-bud371Quem gosta da natureza e já plantou uma árvore entende o prazer de ver nascer uma folhinha nova. As vezes a muda da árvore parece morta, mas confiamos na terra, colocamos na natureza e no tempo, protegemos das intempéries e ações externas, ventos, animais e pessoas e criamos esperanças. Quando menos esperamos, uma folhinha, duas folhinhas e aquela árvore bebê vai se tornar, se Deus que comanda a natureza quiser, uma árvore frondosa, florida, frutífera, vai modificar a atmosfera, embelezar a paisagem, transformar as energias, oxigenar o ar, melhorar a vida. A natureza agiu por dentro.

O ser humano é natureza. Somos natureza com parte de livre arbítrio. Decidimos se queremos crescer ou não. Nem sempre é fácil. As vezes a distância que nos encontramos da real pacificação das paixões da alma, nos exige maiores desafios para dominar o que os hindus chamam de “cavalos indomáveis”. Força de vontade, capacidade de decisão, esforço, determinação, foco, mas talvez nada disso seja o caminho, por que por dentro as pressões da natureza podem estar em outra direção que não sejam as escolhidas pela mente.

Por dentro temos uma natureza divina em funcionamento, nos atraindo para o mais perfeito, que chama-se consciência. Mas a consciência precisa do polimento dos acontecimentos da vida. Trabalho, decisões, escolhas, relacionamentos e aprendizado.

Por que seguir em frente, se é mais fácil negar a consciência? Nos descobrimos as vezes no silêncio de nós mesmos, de nossa auto convivência e de nosso turbilhão de vontades e emoções, com desvios de caráter, falhas morais grandes ou pequenas, ações corretas ou incorretas e julgamos, sentenciamos e nos punimos pela própria sentença, de várias formas. Suicídios, depressão, traições, hedonismo, busca de felicidade, poder e dinheiro a qualquer preço, por que o tempo passa cada dia mais rápido e a corrida do ouro segue exigindo competitividade, organização e capacidade de termos foco, determinação, resiliência, mutabilidade.

Quem somos nós? Por que as ansiedades nos deixam tão insatisfeitos?

Amigos são sempre amigos, isso acontece através das reencarnações. Respeito, admiração, compreensão sobre nossos defeitos, razões diversas de parceria e proximidade de conceitos. Irmãos são sempre irmãos, amor é sempre amor. Mas as energias que nos envolvem nesta relação com a vida e com o tempo, exige infelizmente um convívio inevitável com a dor.

A dor do parto, a dor da saudade, a dor da distância, a dor da gravidade que nos amolece se não agirmos na direção contrária, praticando o exercício físico, a dor da desintegração mental e moral, caso estacionemos em nossas zonas de conforto enquanto a vida vai se reajustando por outras lideranças que não sejam as nossas próprias ações, nos tornando submissos aos acontecimentos ou subordinados aos gaviões da carne, da matéria, do poder, como aconteceu em todos os impérios que existiram neste planeta e continuam ainda há existir.

Aguardar a transformação cristã interna, enquanto sofremos por nossas próprias mazelas e atrações energéticas, exige sabedoria de nossos próprios corações, controle sobre nossas energias e sobre nossos pensamentos e confiança nas promessas do Cristo.

“Bem aventurados os mansos e misericordiosos, por que herdarão a Terra” – disse Jesus. O que isso quer dizer? Precisamos refletir. A natureza continua agindo em nós, por que não temos saída, o tempo não para, vamos ficando mais velhos fisicamente e talvez mais sábios, quem sabe.

Se soubermos viver a força da energia por dentro, teremos a afinidade e ligação com a infinita misericórdia e amor divino e as folhas, frutos e flores de nosso destino e felicidade, nascerão com o prazer de quem soube semear e esperar. Acreditar, sentir e esperar é o nosso maior desafio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *