Brasil perde da Croácia e vai para “tudo ou nada” contra Argentina

marquinhos-comemora-vitoria-da-selecao-brasileira-masculina-de-basquete-sobre-a-espanha-na-arena-carioca-1-1470785590533_v2_300x300Em atuação inconstante na Arena Carioca 1, a seleção masculina de basquete foi derrotada pela Croácia por 80 a 76 nesta quinta-feira (11). O Brasil chegou a estar 14 pontos atrás, chegou a se reencontrar no segundo tempo e cresceu no último quarto, mas já era tarde para a reação.

O ala Bojan Bogdanovic foi o cestinha do jogo com 33 pontos. Pelo Brasil, Leandrinho foi o maior pontuador com 16.

Apesar de sofrer seu segundo revés nestas Olimpíadas, o Brasil ainda tem chances de classificação e soma quatro pontos no grupo B (cada vitória rende dois pontos; a derrota, um). O time de Rubén Magnano volta à quadra às 14h15 (de Brasília) deste sábado (13) para um confronto muito importante contra a Argentina, no qual uma derrota colocaria os brasileiros no caminho dos Estados Unidos nas quartas de final ou pode até mesmo significar uma eliminação prematura.

Erros fazem Brasil cair de produção após bom início

O começo de jogo foi bom para a seleção brasileira, que em três minutos permitiu apenas dois pontos da Croácia e abriu 7 a 2. Mas os erros em excesso acabaram custando a liderança: foram quatro no total, sendo duas andadas de Leandrinho e Alex na hora de concluir a bandeja. Sem se importar com isso, a Croácia virou e fechou o quarto vencendo por 19 a 17.

Defesa passiva e transição lenta

 

REUTERS/Jim Young

 

Mesmo pressionada pela desvantagem no placar, a seleção brasileira não pressionou muito na marcação e deixou que a Croácia trabalhasse a bola até que resolvesse definir. A passividade deixou o garrafão aberto, permitiu que os europeus chutassem livres do perímetro e foi o grande erro que culminou em desvantagem de 10 pontos no intervalo. Com infiltrações e chutes de longe, Bojan Bogdanovic foi quem mais incomodou a defesa brasileira e fechou os dois primeiros quartos com 16 pontos.

Reação frustrada por regularidade croata

Como tem sido uma marca do basquete brasileiro na Rio-2016, o grande momento da equipe foi no terceiro período. No primeiro tempo o Brasil tinha feito transições lentas, mas a atitude mudou na volta do intervalo e a desvantagem chegou a cair para quatro pontos. Mas a Croácia respondeu com uma sequência de pontos ainda maior para restabelecer a liderança tranquila e fechar o quarto em 59 a 50.

Jogo parelho no quarto final

 

Diego Padgurschi/Folhapress

 

A desvantagem parecia ter ficado grande demais para o Brasil, mas a Croácia sentiu o final do jogo e começou a errar um ataque atrás do outro. Ressurgindo das cinzas, a seleção teve em Leandrinho seu principal jogador para deixar a diferença no placar em apenas uma posse de bola. No momento decisivo, porém, deu Croácia.

Torcida empurra, mas Brasil amassa o aro

Os torcedores até que tentaram fazer sua parte na Arena Carioca 1, mas a seleção brasileira errou arremessos demais a partir da metade final do primeiro período. Uma das estrelas do time, o pivô Nenê só pontuou em lances livres até o final do terceiro quarto, quando enfim fez duas cestas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *