Especialista tira dúvidas sobre a utilização de aparelho ortodôntico

Crédito da Foto: Leo Cinezi

Crédito da Foto: Leo Cinezi

Antes do resultado final e a melhora do sorriso, as etapas do tratamento geram dúvidas nos futuros pacientes

 

Para a correção dos dentes não existe muito mistério: é necessária a utilização de aparelho ortodôntico fixo. Hoje já existem aparelhos mais discretos e praticamente invisíveis, entretanto o aparelho tradicional, com bráquetes, fio e elásticos coloridos é a escolha definitiva da maioria das pessoas. Os benefícios da correção com aparelho ortodôntico não são questionados. Mas o fato de ser um tratamento individualizado pode gerar dúvidas nos futuros pacientes. Para quem nunca usou, as perguntas são comuns: como funciona? É doloroso? O que é possível corrigir? O ortodontista e endodontista da REDEORTO, de Caxias do Sul, Frederico Gonçalves, explica como funciona o tratamento e tira as dúvidas sobre as etapas do uso do aparelho.
O aparelho e a avaliação

O aparelho ortodôntico fixo é formado por peças chamadas: bráquete – uma liga metálica de aço, nível e cromo; banda – anéis de metal, geralmente colocados nos dentes do fundo (molares); arco – fio fixado aos bráquetes para provocar a pressão sobre os dentes; elástico – famosas borrachinhas que prendem o arco aos bráquetes. Para a estruturação do aparelho de cada paciente, é feita uma avaliação e montagem do tratamento individualizado. “Iniciamos pela avaliação. O paciente faz o raio-x de perfil, panorâmico, e baseado nisso é feito o planejamento do caso, para saber todos os problemas que podem ser recuperados”, explica Frederico.
Funcionamento
“Cada dente possui uma numeração, e cada bráquete possui uma angulação específica para encaixar perfeitamente em determinado dente. Durante o tratamento são utilizados arcos com fios de diferentes espessuras, para ter maior ou menor controle das mudanças. Esse arco exerce pressão no osso e as fibras existentes ali vão se acomodando para que forme o novo posicionamento. Já a utilização de outros elásticos é específica para tratar algum problema de mordida, ou fazer um melhor alinhamento dos dentes”, diz Frederico. Ele ainda reforça a importância da manutenção, visitando o dentista a cada 30 dias. “Esse é o tempo necessário para que a movimentação aconteça e assim mantemos o controle regular do tratamento”.
Desconforto
Os dentes são movidos por meio da força que o arco faz ao passar pelos bráquetes, exercendo uma pressão diferente em cada dente e conforme a necessidade. É comum sentir um desconforto causado por essa pressão. Segundo Frederico, o “maior desconforto do aparelho ortodôntico é quando alguma peça do aparelho, seja o fio, ou o bráquete, está quebrado ou deslocado. Isso pode machucar a boca ou o lábio do paciente, mas para resolver esse problema, são distribuídas ceras especiais para cobrir o local até o dia da visita ao dentista”. Mesmo assim, o ortodontista reforça que qualquer caso incomum de dor deve ser comunicado ao dentista o mais rápido possível.
O benefício

Entre os mais diversos benefícios do tratamento dental com o aparelho fixo, a correção da posição dos dentes traz a melhor distribuição de força na hora da mastigação, além de facilitar a higiene bucal e, consequentemente, diminui os riscos de cáries e problemas na gengiva. O resultado final é baseado no planejamento realizado antes do tratamento. “Com a avaliação e planejamento, já temos noção de como será o resultado final, e o posicionamento da movimentação de cada dente. Então quando todos, ou a maioria dos dentes, já está alinhada, é definida a finalização. Mas o mais importante, ainda, é que o paciente esteja satisfeito com o resultado. Quando o paciente está satisfeito, nós percebemos que todas as etapas foram concluídas com sucesso”, reforça Frederico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *