Expectativas de público para a edição 2016 do Cinema de Verão

IMG_2483Robinson Cabral: Acredito que até o final de semana consigamos atingir o público idealizado que era de 4.000 pessoas, levando em conta a sessão especial de Galópolis que ocorre dentro do antigo cinema do bairro, desativado a mais de 30 anos e por conta, também,  da sessão de encerramento com o clássico Cantando na Chuva que ocorre domingo dia 31/01 no Largo da Estação Férrea.

 

2014, 2015 e 2016. O que mudou no Cinema de Verão?

Robinson Cabral: Do primeiro ano pra cá conseguimos cada vez mais ampliar o público e os locais de exibição, além disso foi possível identificar a real demanda cultural das comunidades visitadas. Tivemos dois anos para ter um bom diagnóstico de ação, pra que nessa edição de 2016 pudéssemos experimentar a utilização de novos espaços e, por consequência, a conquista de novos públicos.

 

Formação de público para cinema de arte  e interação do público.

Robinson Cabral: Cada vez fica mais claro a pré-disposição do público caxiense ao novo e ao inusitado. É visível o interesse em filmes de importância histórica, conceitual e estética, levando em consideração o público que acompanha as exibições no Ordovás.  Também é visível o sentimento de nostalgia e alegria no ar ao ver comédias clássicas nacionais e poder se “reconhecer” na telona. Como o público está “comprando” bem a ideia, a mídia legitima através das inúmeras reportagens sobre o projeto.  Outra coisa muito importante nesse ano foi a parceria que se afinou com as comunidades onde ocorrem a mostra.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *