No frio, que tal um café diferente para aquecer? – por Vanessa Pacheco professora do Senac Caxias

 

O criador do Irish Coffee, Joe Sheridan (com chapéu de chef) posa ao lado de sua equipe em Dublin

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na estação mais fria do ano, aumenta o consumo da bebida mais querida do mundo: o café. Dados da Organização Internacional do Café (OIC, sigla em inglês) apontam que o consumo mundial de café ultrapassa 150 milhões de sacas de 60 quilos por ano e vem registrando um crescimento anual de 2,5%. O Brasil é o segundo maior consumidor da bebida do mundo, atrás apenas dos EUA, que consome anualmente 24 milhões de sacas. O consumo brasileiro per capita, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), é de 6,12 quilos de café verde em grão – o equivalente a 4,9 quilos de café torrado e moído ou 81 litros da bebida. Que tal aquecer o inverno com uma receita diferente? A professora do Senac Caxias do Sul, Vanessa Pacheco Andrade dá o passo a passo para um delicioso Irish Coffee. Confira:

Irish Coffe

45 ml de Uísque Irlandês

15g de açúcar mascavo ou demerara (1 colher de chá)

150 ml de café filtrado  (¾ de xícara de café)

60 ml de creme de leite fresco batido (1/3 de xícara de café)

1.    Bata o creme de leite até ficar firme.

2.    Misture o café quente com o uísque e o açúcar. Mexa bem.

3.    Cubra o café com o creme de leite batido, alise o topo com o fundo de uma colher grande. Sirva.

História do Irish Coffee

Na década de quarenta, na cidade de Dublin, na Irlanda, o aeroporto de Foynes era um dos mais importantes no continente europeu por onde passavam estrelas de Hollywood e políticos influentes.

Buscando oferecer uma experiência a estes clientes, o aeroporto abriu um novo restaurante, sob o comando de Joe Sheridan, um chef e bartender irlandês. Joe teve a ideia de criar um drink para aquecer os visitantes na chegada ao Reino Unido, em função de seu clima frio.

Na época contam que o nome surgiu após Sheridan ter sido perguntado por um cliente se o drink era um “café brasileiro”, visto que na época o produto-exportação era bem famoso. “No, it is Irish Coffee” (Não, é café irlandês), teria respondido o bartender, batizando assim sua criação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *