Abril traz desempenho positivo para comércio caxiense

Crédito: Regina Lain / Dinâmica Comunicação

Segmento automobilístico apresenta-se como principal pilar na recuperação econômica do município
O Termômetro de Vendas do mês de abril de 2019, realizado pela CDL Caxias do Sul, foi divulgado nesta terça-feira (04/06), na CIC Caxias, e lançou as informações da economia do município durante o período. Pela primeira vez no ano, os números mostram uma expansão de 7,74% entre os meses de março e abril, resultado superior aos -3,43% do mês anterior. O resultado representa o início da recuperação do setor, principalmente devido ao segmento de Automóveis, Caminhões e Autopeças Novos. Na comparação em relação ao mês de abril de 2018, o crescimento foi de 25,41%. Já no acumulado de doze meses, percebe-se um crescimento de 4,42%, dado também visto nos meses anteriores.

Segundo o assessor de economia e estatística da entidade, Mosár Leandro Ness, a tendência é a recuperação de outros setores. “Mesmo com uma base ainda fraca, é o quarto mês consecutivo que o acumulado de doze meses é positivo, resultado que evidencia o crescimento do comércio no geral. Neste mês, o segmento de automóveis claramente sustentou as vendas do comércio, mas a expectativa de crescimento dos outros setores ainda é forte”, explica Ness.

 

Inadimplência

O estoque de dívidas no mês de abril apresentou um comportamento que reverte o movimento de março, já que o mesmo teve alta de 4,80%, contra 0,16% do mês anterior. No ano, o estoque de dívidas foi negativo de -2,84% e em doze meses apresentou crescimento de 8,68%. Quando os dados de abril são comparados ao mesmo período do ano anterior (abril/2018), é observada uma variação mensal de 5,51%.

As inclusões de CPFs no SPC diminuíram em 0,17% em relação ao mesmo período do ano passado (abril/2018). Em relação ao mês de março, aumentaram 0,15%.

 

Empregos

A evolução das contratações em Caxias do Sul durante abril de 2019 revelou um saldo negativo na ordem de -576 vagas. Em doze meses o saldo acumulado é de 4.520. O resultado deve-se, principalmente, à retomada do emprego formal puxada pelo mercado de bens no município. Na Indústria de Transformação, setor que demonstra maior fôlego de recuperação pós-crise, foram registradas 272 contratações. Já o comércio de abril apresentou um saldo positivo de 253 contratações, aumento devido à abertura de duas grandes lojas na cidade.

 

Ramo duro

No ramo duro, a variação entre os meses de março e abril de 2019 apresentou uma expansão de 11,23%. Em termos reais, descontada a inflação, a expansão nas vendas é de 35,03%. Já no acumulado de doze meses, também observou-se um crescimento de 7,17%, contra os 5,39% do mês anterior. Em termos nominais, o desempenho positivo ocorreu nos segmentos de,Automóveis, Caminhões e Autopeças Novos (32,91%); Óticas, Joalherias e Relojoarias (4,43%);Materiais Elétricos (7,58%); Eletrodomésticos, Móveis e Bazar (5,57%). Já os segmentos que apresentaram desempenho negativo foram: Informática e Telefonia (-32,40%); Material de Construção (-0,84%) e Implementos Agrícolas (-24,99%).

 

Ramo mole

Em relação ao ramo mole, a variação entre março e abril de 2019 foi negativa de -7,69%, contra -21,96% do mês anterior. A permanência nos valores negativos aponta para a inconstância dos valores dos produtos, prática percebida nos últimos meses. Em termos reais, descontada a inflação, a variação sob o mesmo período do ano anterior (abril/2018) apresentou saldo negativo de -4,57% e no acumulado de doze meses também percebe-se retração de -5,32%. O desempenho foi negativo para todos os setores: Vestuário, Calçados e Tecidos (-0,54%); Produtos Químicos (-15,36%) e Farmácia (-3,79%); Livraria, Papelaria e Brinquedos (-23,94%).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *