Com professor argentino, reitor da UCS lança obra sobre construção do futuro latino-americano

Coautoria é de docentes da Universidade de Caxias do Sul, da Universidade Tecnológica Nacional – Facultad Regional Resistencia e do governo da província de Chaco, ambos da Argentina

 

.Evaldo Antonio Kuiava, Oscar Domingo Peppo e Miguel Armando Garrido – Imagens: Ariel Rossi Griffante

Construcción de Futuro Latinoamericano – Visíon Hologramática é a obra lançada pelo reitor da Universidade de Caxias do Sul, Evaldo Antonio Kuiava, em conjunto com o professor argentino Miguel Armando Garrido, diretor do Centro de Investigação para a Paz da Universidad Tecnologica Nacional (UTN) – Facultad Regional Resistencia, na Argentina, e assessor do governo da província de Chaco. A coautoria é do governador da província de Chaco, Oscar Domingo Peppo, de professores da UCS (Margarete Fátima Lucca, Delcio Antonio Agliardi, Luis Fernando Biasoli e Severino Alexandre Biasoli), da UTN e do governo de chaco (Nancy Hauch, Nancy Liliana Wammen, Cecilia Andrea Guerrero e Juan Martín Castro).

Editado pela ConTexto Librería Editorial, o trabalho se utiliza da metodologia prospectiva – ramo de estudo que inclui a proposição de cenários e projeções futuras em áreas como a econômica, tecnológica, científica e social – e materializa a intencionalidade de difusão da paz e da justiça entre as nações. Alinhada à agenda 2030 da UNESCO e à ONU, a proposta articulou UCS, UTN e a assessoria do governo do Chaco, incluindo 70 municípios de Chaco e Formosa, na intenção de torná-la ferramenta para o trabalho em planejamento estratégico e formulação de políticas públicas.

Parceria

A apresentação do livro, na manhã desta sexta-feira, 12 de abril, no Salão de Atos do Bloco A da UCS, celebrou também a relação estabelecida entre UCS e a universidade argentina em um ciclo voltado à difusão e ao fomento de justiça e paz entre as nações. Doutor honoris causa pela UCS, o professor argentino Miguel Armando Garrido exaltou a gratidão pela parceria no desenvolvimento do trabalho. Ao governo da província do Chaco, também agradeceu a convocatória à participação de todos os municípios que fizeram parte do trabalho, destacando a importância de se liderar pela unidade e pela diversidade e concluindo que a integração é possível, à exemplo do trabalho que une governos e universidades.

Para o governador da província argentina de Chaco, Oscar Domingo Peppo, a relação de irmandade com Caxias do Sul e a UCS é uma ponte virtuosa e condutora, como base de investigação, conhecimento e esperança. O trabalho, segundo ele, conecta-se à construção de um futuro “com melhor qualidade de vida, trabalho, oportunidades, paz, felicidade e o necessário às famílias, com igualdade, justiça e paz”, explicou. “Se há algo que podemos modificar é o futuro, a partir da previsibilidade e do estudo”, afirmou, elencando a ciência e a agenda 2030 da Organização das Nações Unidas como ferramentas.

A secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Caxias do Sul, Camila Sandri Sirena, compartilhou com a comitiva argentina dados municipais relacionados à agroindústria e destacou a relevância do intercâmbio de experiências positivas na construção de políticas públicas voltadas ao futuro das cidades. “É importante, como município e país vizinho, participar da construção de futuro”.

O reitor da UCS, Evaldo Antonio Kuiava, exaltou à dedicação de Garrido à construção da paz e no estabelecimento de pontes, como com a Universidade de Caxias do Sul. “Os livros são sagrados para mim”, afirmou, definindo o evento como a materialização da palavra. “A racionalidade presente vai além do conhecimento científico e se traduz em evento, acontecimentos, portanto, estamos construído a história”, explicou, sobre o ato simbólico que materializa referencial teórico, marco metodológico e a prática. Para Kuiava, explicar é construir pontes, abrir portas – e a “dobradiça” que prende essas portas é o referencial teórico ao que se está respaldado, mas que precisa se materializar. “Através da metodologia da prospectiva, portanto, nós abrimos portas”.

Comitiva
A visita da delegação argentina da província do Chaco ao Rio Grande do Sul contou ainda com as presenças da ministra da Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia, Marcela Mosqueda; do ministro da Produção, Marcelo Repetto; da ministra do Trabalho, María Natalia Mustillo; do ministro da Indústria, Comércio e Serviços, Gustavo Ferrer; da secretária de Investimentos, Assuntos Internacionais e Promoção, Maria Elina Serrano; do secretário de Municípios e Cidades, Alcides Argüello; e da representante da Fundação Chaco Solidário, Emilse Nanoff Penoff.

Na visita ao Estado, a comitiva ainda passou por Porto Alegre, estabelecendo contato com o governo gaúcho a fim de visualizar experiências de agricultura familiar; buscou oportunidades para futuras parcerias com a UCS e a região Nordeste do Estado, expandindo e promovendo a cooperação entre pesquisadores e empresários de ambas regiões; e visitou a agroindústria caxiense Forno Velho, conhecendo as práticas de produção de doces e geleias de frutas.

publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *