Deputado Afonso Hamm recebe solicitações da FUCS sobre verbas para o HG

Com déficit estimado de R$ 8,5 milhões para o ano e necessitando de R$ 10 milhões para concluir obras de ampliação, diretoria do Hospital Geral busca intermediação de parlamentares gaúchos

Representantes da gestão da Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS), da reitoria da UCS e do Hospital Geral aproveitaram a presença, em Caxias do Sul, de mais um integrante da bancada gaúcha no Congresso nacional para solicitar apoio na obtenção de recursos visando à manutenção do HG e a conclusão das obras de ampliação do estabelecimento, paralisadas desde dezembro de 2016.

Nesta segunda, 9 de abril, antes da reunião-almoço da CIC na qual foi palestrante, o deputado federal Afonso Hamm (PP) recebeu, no HG, a apresentação de um relatório deserviços e resultados do hospital. Em seguida, na CIC, o presidente do Conselho Diretor da FUCS, José Quadros dos Santos, o reitor Evaldo Kuiava, e o presidente da CIC, Ivanir Gasparin, entregaram ao deputado um documento com o relato da situação financeira da instituição, acompanhado do pedido de atuação para a captação de R$ 8,5 milhões para cobrir o déficit previsto para este ano e de outros R$ 10 milhões para o término da construção. Solicitação semelhante foi feita ao presidente da Assembleia Legislativa, Luis Augusto Lara (PTB) e aos deputados estaduais Pepe Vargas (PT) e Neri, o Carteiro (SD), Junqueira, em 15 de março, e ao deputado federal Marcel van Hattem (NOVO) em 1º de abril.

Ampliação de leitos – No ofício, FUCS, UCS e HG informam que, em virtude da crescente demanda da região, o Plano Diretor do HG elaborado em 2009, projetou a ampliação de 70% da área física e de 60% da capacidade assistencial do estabelecimento. Assim, asobras, iniciadas em 2014, pretendem aumentar em 128 o total de leitos (87 de internação e 41 de UTIs adulto, pediátrica e neonatal), passando dos atuais 227 para 355 (sendo 275 de internação e 80 de UTIs). O projeto de ampliação aprovado pela Vigilância Sanitária do Estado tem um orçamento total de R$ 39,7 milhões, sendo R$ 18 milhões referentes à ampliação física e o restante a equipamentos e reestruturação interna.

Perspectiva de déficit – A receita do HG, atualmente, fica em torno de R$ 8 milhões pormês, sendo R$ 4,7 milhões repassados pelo SUS, pelos serviços prestados, e R$ 3,3 milhões pelo Estado. Apesar disso, o déficit mensal atinge cerca de R$ 900 mil mensais,gerando a perspectiva de R$ 8,5 milhões para o ano. Os serviços são mantidos graças àrealocação de recursos, pela FUCS, que faz a gestão do hospital por delegação do governo do Estado e também é mantenedora da UCS, do Centro de Teledifusão Educativa (Cetel), o do Centro Tecnológico Universidade de Caxias do Sul (Cetec).

Segundo o diretor geral do HG, Sandro Junqueira, a situação se agrava desde 2015, devido à diminuição dos repasses pelo Estado e pelo município (este vetado a partir de 2017 peloprefeito Daniel Guerra). Em 2017 a FUCS chegou a injetar R$ 7 milhões no HG para cobrir o déficit, evitando o fechamento de leitos e a diminuição dos serviços.


Referência para 49 municípios

O Hospital Geral (HG) foi inaugurado em 19 de março de 1998, sendo de propriedade do governo do Estado do Rio Grande do Sul, que, por meio de convênio, delegou sua gestão à Fundação Universidade de Caxias do Sul. Atende 100% pelo SUS a 49 municípios integrantes da 5ª Coordenadoria Regional da Saúde, que somam 1 milhão de habitantes, e é um dos seis entre 220 hospitais filantrópicos gaúchos Acreditado Pleno Nível III (de Excelência em Gestão) pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). 

Foto: Raquel Carvalho/divulgação CIC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *