RGE instalou 22 mil lâmpadas de LED em 70 prédios públicos no ano passado

Ação faz parte do Programa de Eficiência Energética da distribuidora e teve investimento de R$ 1,8 milhão contemplando 24 municípios

São Leopoldo, 15 de março de 2019 – A iluminação interna de 70 prédios públicos da área de concessão da RGE foi transformada no ano passado. Em uma ação do seu Programa de Eficiência Energética, a distribuidora do Grupo CPFL Energia substituiu lâmpadas antigas, como as fluorescentes e incandescentes, por novos pontos com tecnologia LED. Ao todo, 22 mil novas lâmpadas foram instaladas em 30 escolas públicas, 23 prefeituras e secretarias, 12 hospitais públicos, 2 sedes de órgãos de segurança e 3 associações assistenciais. A ação teve investimento de R$ 1,8 milhão.

Somados, todos esses espaços terão uma economia de R$ 715,8 mil ao ano nas contas de energia. Isso se deve à redução de 1.362,67 MWh/ano de consumo de energia elétrica e de 107,58 kW de demanda no horário de ponta. O objetivo da RGE é permitir que esses locais tenham uma tarifa de energia menor e, ao mesmo tempo, um consumo mais eficiente. Utilizadas em larga escala desde o final do século XIX, as lâmpadas incandescentes e fluorescentes estão sendo eliminadas divido a sua ineficiência energética. Além de consumirem até 80% mais energia elétrica do que as tecnologias disponíveis no mercado, como o LED, essas lâmpadas iluminam menos e têm vida útil menor.

Devido à necessidade de investimento financeiro para a substituição de lâmpadas serem significativos para estabelecimentos com elevado número de pontos e administrados pelo poder público, a defasagem tecnológica da iluminação é comum e ocasiona perda de energia. Cerca de 27% das lâmpadas encontradas nos prédios públicos que receberam a ação do ano passado eram incandescentes compactas. As demais eram lâmpadas fluorescentes T10 (20 e 40W) ou ainda as versões mais recentes de lâmpadas fluorescentes T8 (16 e 32W). Por isso, a aplicação de novas unidades com LEDs traz um ganho de potência e de iluminação para estes ambientes aumentando o nível de iluminamento com menor consumo de energia.

Muitas das lâmpadas recolhidas na substituição eram do modelo fluorescentes tubulares, que utilizam mercúrio em seu interior, ou seja, tóxicas ao meio ambiente e aos seres humanos. Sendo assim, a sua substituição por tecnologias de maior eficiência, como o LED, reduz este tipo de contaminação no futuro. Porém, devem ser acompanhadas de descarte adequado para evitar que sua liberação no meio ambiente ocasione danos. Este, inclusive, é um dos focos do projeto, no qual as lâmpadas recolhidas foram direcionadas para o descarte correto.

Segundo o Coordenador do Programa de Eficiência Energética da RGE, Odair Deters, além da utilização de tecnologias mais eficientes, o uso consciente de recursos e a mudança de hábitos da sociedade são fundamentais para redução do desperdício. “A conscientização da importância do uso correto da energia e a disseminação de conhecimento de práticas que possibilitam uma redução do consumo de energia no dia a dia são aliadas da construção de um futuro sustentável e foram aplicadas campanhas específicas para o público beneficiado”, comenta Deters. Em 2019, a RGE pretende dobrar a quantidade de lâmpadas substituídas em prédios públicos, ou seja, superar a marca de 44 mil lâmpadas, beneficiando muitas outras instituições.

Além dos prédios públicos, a RGE executa, de maneira contínua, a substituição de lâmpadas em residências de clientes enquadrados na Tarifa Social ou que residam em áreas consideradas de vulnerabilidade social pelo poder público. A substituição gradativa das lâmpadas menos eficiente por LED é um hábito importante para as demais famílias. Se a cada mês uma lâmpada for trocada, em pouco tempo a iluminação da casa ou mesmo do comércio estará mais eficiente e, ainda, com redução na tarifa.

Lista dos locais beneficiados

Abaixo, a lista dos municípios que tiveram prédios que receberam trocas de lâmpadas pelo Programa de Eficiência Energética da RGE em 2018

CACHOEIRINHA

CAMPO NOVO

CANELA

CAXIAS DO SUL

ERECHIM

ESTEIO

GLORINHA

HUMAITÁ

IBIRUBÁ

MORRO HEUTER

NOVO HAMBURGO

PALMEIRA DAS MISSÕES

PASSO FUNDO

ROLANTE

SANTA BARBARA SUL

SANTA CRUZ DO SUL

SANTA ROSA

SÃO FRANCISCO DE PAULA

SÃO LEOPOLDO

TAQUARA

TENENTE PORTELA

TRÊS COROAS

TRÊS PASSOS

URUGUAINA

Sobre a RGE

Responsável por distribuir 65% da energia elétrica consumida no Rio Grande do Sul e atender 2,86 milhões de clientes residenciais, industriais e comerciais em 381 municípios gaúchos, a RGE é hoje a maior distribuidora da CPFL Energia em extensão territorial e número de cidades atendidas. A área de concessão da companhia, que é resultado do agrupamento das distribuidoras RGE e RGE Sul, realizado em janeiro de 2019, totaliza 189 mil km² de extensão, abrangendo as áreas urbanas e rurais das regiões Metropolitana, Centro-Oeste, Norte e Nordeste do estado.

Os investimentos realizados pela RGE contribuem para o desenvolvimento socioeconômico de locais de fundamental importância para a economia do estado, que vão desde fortes polos turísticos, agrícolas e pecuários, até grandes centros industriais e comerciais, trazendo mais bem-estar, conforto e infraestrutura para a vida de 7,4 milhões de gaúchos.

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 106 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização e serviços. Desde janeiro de 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a segunda maior organização empresarial do mundo e a maior companhia de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

Com 14% de participação, a CPFL Energia é vice-líder no mercado de distribuição, totalizando cerca de 9,4 milhões de clientes em 679 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 14% na venda para consumidores finais. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

Na geração, é a terceira maior agente privada do País, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis, como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Ao final do terceiro trimestre de 2018, a capacidade instalada do Grupo CPFL alcançou 3.283 MW.

A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da B3 e ADR Nível III na NYSE, além de participar do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3 pelo 13º ano consecutivo. O Grupo também ocupa posição de destaque como um dos maiores investidores brasileiros em arte, cultura e esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *