MÉRITO GIGIA BANDERA SIMECS divulga empresários agraciados com a edição 2018

Agraciados com o presidente Reomar Slaviero// Cintia Buzin
Dirceu Tedesco //Gilmar Paniz Agraciados

A diretora da Metalúrgica Buzin, Cintia Buzin; o diretor presidente da MGA Válvulas Industriais de Veranópolis, Dirceu Tedesco e o diretor presidente do Grupo G.Paniz, Gilmar Antônio Paniz são os empresários homenageados com o Mérito Metalúrgico Gigia Bandera 2018. Os nomes foram divulgados na manhã desta quarta-feira (07) pelo presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico – SIMECS, Reomar Slaviero. Os industriais indicados foram avaliados e escolhidos por uma comissão especial da entidade. O Mérito Gigia Bandera chega à sua 25ª edição com o objetivo de homenagear personalidades empresariais que tenham se destacado por sua performance ética, moral e profissional, evidenciada pela conduta empreendida e pelas atividades desenvolvidas em seus segmentos. A solenidade de entrega da outorga está marcada para o dia 30 de novembro de 2018, no Intercity Premium Hotel, em Caxias do Sul.

19ª edição do Balanço Social

Durante a solenidade do Mérito Gigia Bandera, o SIMECS será lançará a 19ª edição do Balanço Social. O Balanço Social tem por objetivo informar os investimentos feitos pelas mais de três mil indústrias metalúrgicas, especialmente na área social, tornando pública a preocupação e empenho das políticas empresariais em proporcionar aprendizado, formação técnica e oportunizar vários programas assistenciais a milhares de trabalhadores e seus dependentes. Entre os benefícios concedidos, destacam-se: salários, programas de saúde, educação, transporte, alimentação, participação nos lucros e resultados.

Troféu Gigia Bandera

O Troféu Gigia Bandera foi instituído pelo SIMECS em novembro de 2005. É uma obra de traços firmes e fortes, esculpidos no rosto de uma mulher, traduzindo a altivez, a experiência e o empreendedorismo de Luigia Carolina Zanrosso Eberle – Gigia Bandera, a pioneira da indústria metalúrgica de Caxias do Sul e região. A obra criada pelo artista plástico Jesiel Bellini foi fundida em resina de poliéster, pintada com tintas e pigmentos imitando o bronze. Seu pedestal foi esculpido em madeira de imbuia e finalizado com plaquetas de metal identificando a homenagem e o homenageado. Natural de Monte Magré, Província de Vicenza, Itália, Gigia Bandera nasceu em 2 de junho de 1854. Em 1878, casou-se com Giuseppe Giacomo Eberle, com quem teve 10 filhos. Em 1884, chegou ao Brasil, instalando-se com a família em Caxias do Sul. Em 1886, o marido Giuseppe, então agricultor, comprou de Francisco Rossi uma funilaria na Rua Sinimbu. Com o tempo, decidiu dedicar-se somente às atividades agrícolas, cabendo a Gigia Bandera o aprendizado na pequena indústria. Luiza atendia ao balcão, trabalhava na oficina como funileira, fabricando e consertando peças para depois vendê-las, e cuidava dos filhos. Como pioneira do seu tempo, a microempresária Gigia Bandera é reconhecida como uma mulher empreendedora, que impulsionou desde a sua época o desenvolvimento industrial regional. Transcendendo o tempo, o SIMECS faz de Gigia Bandera a síntese do Mérito Metalúrgico, reconhecendo desde 1987 personalidades que, com sua visão estratégica, representação institucional, empresária e de defesa da livre iniciativa, conseguem projetar suas organizações.

Perfil dos agraciados

 Cintia Buzin

Cintia Buzin nasceu no dia 11 de agosto de 1978, em Caxias do Sul.  Os pais Jacir Buzin e Nair Marcon Buzin formaram uma família de quatro filhos. Casada com Ismael Busetti, tem dois filhos, Nicole e Gabriel. Sua história se confunde com a da empresa, tendo em vista que passou toda sua infância brincando em meio às máquinas, no pequeno porão onde a Metalúrgica Buzin iniciou suas atividades. Recorda com carinho as muitas vezes que virava um tambor de óleo, para conseguir alcançar os botões dos tornos mecânicos, ou de quando seu pai adquiriu uma laminadora de rosca e na época se denominava a rainha do parafuso ( em função da novela rainha da sucata que passava na TV). Estudou o ensino fundamental e médio em escolas públicas. Nunca faltou nada, mas também não sobrava dinheiro. A opção do pai e dos sócios, sempre foi reinvestir todo lucro da organização para alavancar o crescimento da mesma. Se formou em 2001, em Administração de empresas com apenas 22 anos de idade e aos 27 concluiu um MBA em Gestão Empresarial. O conhecimento sempre foi uma grande busca. Fez inúmeros cursos técnicos nas áreas que considerava importante para seu crescimento profissional e aplicava os conhecimentos adquiridos na empresa. Iniciou sua carreira profissional no comércio aos 14 anos e próximo sua graduação com 21 anos, foi convidada a trabalhar na empresa da família.  Atua na Metalúrgica Buzin desde 1999, onde iniciou suas atividades na área da qualidade, passando pelos departamentos: administrativo, RH, compras e vendas. No ano de 2010, foi a protagonista de um novo projeto da empresa, onde desenvolveu com a sua equipe uma nova linha de produtos da Buzin intitulado “CISMAX”, máquinas para lavanderia industrial, para o mercado hoteleiro. Em 2011, devido à fatalidade que provocou a morte do pai, sucedeu e assumiu a direção da empresa. Passou por muitas dificuldades para, após a morte do pai, ser aceita e respeitada no mercado. A credibilidade foi sendo conquistada com o passar do tempo, com muita dedicação, trabalho e humildade. Apesar dos momentos difíceis, no longo destes 19 anos de atuação na Buzin, a empresa quadriplicou seu tamanho. Investiu em um novo parque fabril, localizado na Rota do Sol, que possui 4.000m2, dobrou o numero de funcionários, conquistou 50 novos clientes, ampliou a segmentação de mercado, aumentou significativamente sua capacidade produtiva, com a compra de novas máquinas e uso de tecnologias inovadoras e de ponta além de investir continuamente nas boas práticas de gestão. Em 2017, iniciou um novo projeto, desenvolvendo uma nova linha de atuação no mercado de acessibilidade.  Atua de forma ativa em todas as áreas da empresa, participando e contribuindo diariamente com desenvolvimentos de novos produtos, implantação de melhorias de processo e no planejamento estratégico dos negócios. Atua também como voluntária na CIC de Caxias do Sul há mais de 10 anos, onde atualmente é presidente do Conselho da Empresária no período 2018/2019. Em 2015 Cintia recebeu o premio Mulher Empreendedora na Semana Municipal do Empreendedorismo, área indústria. A politica empresarial em sua visão é imprescindível para o bom desenvolvimento e sucesso dos negócios. Sempre preocupada e envolvida em causas sociais, contribui de forma efetiva em varias ações realizada em Caxias do Sul. Cintia dedica a distinção do Mérito Gigia Bandera ao seu pai Jacir. “Onde quer que ele esteja que ele saiba que estamos dando sequência, com muita garra e dedicação, ao legado que deixou para nós”, afirmou Cintia.

Dirceu Tedesco

 No dia 16 de Agosto de 1965 nasceu na localidade de Nossa Senhora da Paz, interior de Veranópolis, o empresário Dirceu Tedesco. Casado há 27 anos com Simone Bavaresco Tedesco, é pai de duas Filhas, Débora e Eloisa.  Dirceu é filho do agricultor Fiorelo Tedesco e de Lourdes Maria Pessin Tedesco, descendente de imigrantes Italianos da Região do Veneto. De uma família de seis irmãos a qual passou por muitas dificuldades, somente conseguiu finalizar o curso de Técnico Contábil no Colégio Regina Coelli de Veranópolis, que na época era conduzido pelas irmãs da congregação de Nossa Senhora de Lourdes. Iniciou muito cedo a sua vida profissional como funcionário de uma loja de bazar aos 14 anos de idade. Aos 18 anos serviu ao Brasil no quartel de Morretes em Canoas. (do qual tem muito orgulho porque aprendeu a respeitar a Pátria acima de tudo). Em 1986 foi trabalhar como programador de PCP na Empresa E.R.Amatino Microfusão de Aços onde apreendeu o oficio de metalúrgico. Uma das maiores tristezas de Dirceu, por questões até hoje não compreendidas, foi perder o emprego em 1991 após ter recém casado. Com muitas dívidas contraídas do casamento e sem emprego, fui sustentado por algum tempo pela mãe que vendia hortaliças nos hotéis da cidade e era costureira nas horas de folga. Alias, foi pela mãe Lourdes que teve o incentivo de iniciar o seu próprio negócio. Foi ao final de 1991 que surgia a empresa Metalurgica Golden Art´s Ltda (hoje conhecida mundialmente como MGA válvulas Industriais). Início muito difícil, sem capital próprio, sem recursos técnicos, mas com muito conhecimento e garra para sobreviver no negócio, os resultados demoraram praticamente três anos para poder ver que algo de melhor estaria por vir. Dirceu Tedesco trabalhava de segunda a domingo, parando no domingo por recomendações de sua mãe para ir à missa dominical. Era o faz tudo dentro da empresa, desde comprar matéria prima, fabricar os produtos até negociar as duplicatas no banco para honrar seus compromissos com fornecedores, funcionários e os impostos. Essa foi sua luta por muitos anos. Respeitando tudo e a todos, os negócios foram evoluindo e a MGA começou a crescer. Especializada em produção de válvulas industriais, passou também a se dedicar a um novo projeto, o desenvolvimento de peças microfundidas. Dirceu considera seus clientes e funcionários como o maior patrimônio da sua vida. Uma perda muito grande foi a morte de sua mãe em novembro de 1998, sua maior incentivadora especialmente na vida profissional. “Todas as pessoas precisam de muito incentivo para vencer na vida, principalmente nós do segmento metalúrgico que sofremos tanto com os altos e baixos do mercado. Mas também precisamos nos divertir um pouco para recarregar as baterias para enfrentar mais um tempo de trabalho”, comenta o industrial. Dirceu adora as pescarias de Dourado na Argentina, Tucunaré no Norte do Brasil e até uns lambaris nos rios do Sul do país. Atualmente Dirceu é Presidente de uma companhia de 450 funcionários com muitos desafios para enfrentar o futuro em nosso País. Mas são estes desafios que alimentam sua vontade de prosseguir a frente dos negócios. Como Pai e esposo, as mulheres de sua casa dizem que é rigoroso porque é um Italiano que gosta das coisas bem feitas. “Ao SIMECS desejo agradecer esta homenagem. Foi por viagens, visitando feiras que conheci a Europa e outros Países, de onde trouxe muito conhecimento e inovação. À minha esposa e filhas obrigado por compreenderem tanta dedicação e empenho ao meu trabalho”, finalizou.

 Gilmar Antônio Paniz

O empresário Gilmar Antônio Paniz, diretor presidente do Grupo G.Paniz, nasceu em 12 de junho de 1960, na localidade de Santa Justina, interior de Caxias do Sul.  Filho de Hermenildo Gaudêncio Paniz e Gema de Bastiane Paniz, Gilmar vem de uma família humilde de agricultores, que com muita luta criou seus cinco filhos, deixando um legado de muito trabalho, honestidade, humildade e amor. Casado com Vera Cacilda Slomp, é pai de quatro filhos, Cristiane, Andressa e Arthur de seu primeiro casamento e Gilmar Junior fruto de seu casamento com a Sra. Vera. Gilmar com 11 anos deixou seus pais e irmãos saindo da localidade de Santa Justina para morar em uma pensão na cidade de Caxias do Sul e conseguir estudar na escola Jose Pena de Moraes. Aos 12 anos de idade foi estudar no Colégio João Triches, tendo em vista que ficava mais próximo de sua moradia, já que havia começado a trabalhar meio período na oficina de seu tio Hemenegildo Antônio Paniz (Hermes), onde Gilmar começou a exercer a função de faxineiro. A partir dos 14 anos começou a trabalhar em período integral e estudar a noite no Colégio Cristóvão de Mendonça. Após, estudou na Escola Santa Catarina onde fez até o 2º ano do ensino médio. Neste mesmo período já exercia funções em mecânica, como soldador, torneiro mecânico e ajustador de ferramentaria. Mas o jovem empreendedor já tinha uma visão de sucesso. Em fevereiro de 1980, com 19 anos de idade, fundou a sua primeira empresa, denominada Indústria Mecânica Zorca, onde Gilmar fabricava peças para terceiros fazendo serviços de usinagem em torno mecânico. Em 1982 a pequena fábrica viria a se chamar Indústria Mecânica G. Paniz e começaria a fabricar máquinas elétricas para a produção de macarrão. Gilmar ia de localidade em localidade levando suas extrusoras de macarrão e deixando como amostra para que os restaurantes e capelas as utilizassem e por fim as adquirissem. Assim começou a  historia da G.Paniz. A partir de 1986 a pequena empresa começou a participar de feiras regionais, como a Festa da Uva, Fenakiwi e Fena Vindima, já nesse período a indústria começou a fabricar outros produtos da linha de panificação, como amassadeiras e cilindros. Com a expansão de novos produtos em 1995 a G.Paniz começou a participar da feira Fispal em São Paulo, considerado maior evento do segmento no Brasil. Hoje a G.Paniz fabrica mais de 300 itens que atendem padarias, confeitarias, açougues, supermercados, restaurantes, hotéis e similares, sendo reconhecida como marca líder no segmento no Brasil e exterior. O Grupo é formado por quatro empresas, a G.Paniz, Gastromaq, Granomaq e Metalcubas, que surgiram para atender outros segmentos como máquinas de panificação e confeitarias especiais, fritadores e chapas para lanche. Gilmar afirma que após muitos anos de trabalho e dedicação em julho de 2018, teve a alegria de ter recebido o Troféu Italo Victor Bersani reconhecimento conferido pela da Câmara de Indústria e Comercio de Caxias do Sul na categoria indústria. “Agora sinto – me imensamente honrado em ser um dos escolhidos para receber o Mérito Metalúrgico Gigia Bandera, prêmio de reconhecimento a empresários que com muito trabalho, dedicação e visão empreendedora conseguiram mudar o seu futuro e quero compartilhar essa alegria com meus familiares, funcionários e amigos que fizeram parte desta conquista”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Comunicação SIMECS

Fotos: Julio Soares

publicidade:

Café Marita – Juliana Oliveira

Café Marita emagrece…veja este facevídeo…

Posted by Sabe Caxias on Thursday, November 1, 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *