Projeto Rondon: a menos de um mês do embarque, acadêmicos planejam atuação em Jaraguari

Oito estudantes e dois professores preparam ações da Operação Pantanal, etapa que concentra atuação em 12 municípios do Mato Grosso do Sul.

No lugar do inverno da Serra gaúcha, temperaturas mais quentes e um ar mais seco; o estilo urbano cede espaço a um cenário mais bucólico; as férias também foram deixadas de lado: no lugar do descanso, muito trabalho! Para oito acadêmicos da UCS, o mês de julho será de atividades do Projeto Rondon, iniciativa do Ministério da Defesa, em parceria com municípios e instituições de ensino,  que busca estimular a sustentabilidade e a promoção da cidadania em regiões com baixo desenvolvimento humano. A equipe da UCS será composta ainda pelos professores Michel Mendes, da Área de Humanidades, e Gisele Cemin, da Área de Exatas e Engenharias.

Eles partiram  no dia 6 de julho rumo a Jaraguari, município sul-mato-grossense, localizado a 46 quilômetros da capital Campo Grande. Com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo da média nacional, o município conta com uma população superior a 6,5 mil habitantes – boa parte distribuída na zona rural. Por lá, os estudantes e professores da UCS desenvolverão atividades dentro da Operação Pantanal – etapa do Projeto Rondon que foca esforços em 12 municípios do Mato Grosso do Sul. A ideia é realizar ações dentro do eixo temático B, que trata de temas como Comunicação, Meio Ambiente, Trabalho, Tecnologia e Produção.

O município também vai receber estudantes da Faculdade de Odontologia de Araçatuba (SP), da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Eles se unem à equipe da UCS para realizar atividades conjuntas.

Cronograma fechado
Antes de pegar o voo rumo ao Mato Grosso do Sul, os estudantes da UCS participam de encontros de preparação das atividades que vão conduzir em Jaraguari. Cada aluno é responsável por pensar ações que associam os conhecimentos teóricos da graduação às necessidades locais. Parte das demandas da comunidade foi recebida pela professora Gisele em uma viagem precursora do projeto, em abril.

A partir dos apontamentos das instituições públicas da cidade e da própria população, um cronograma de oficinas, cursos e atividades recreativas passou a ser elaborado em conjunto pelo grupo. Além dos trabalhos individuais, a equipe planeja uma atuação colaborativa, com foco no desenvolvimento integral da comunidade. Por exemplo, além de ensinar a produzir embalagens e sabonetes, o grupo vai atuar para mostrar como essa produção pode gerar uma renda extra, por meio da comercialização.

“A preparação da equipe está intensa, iniciou no mês de maio e segue até final de junho. Os encontros são quinzenais, com apresentação das propostas de trabalho. Algumas atividades envolvem mais de um acadêmico, o que é excelente para a formação dos estudantes, já que mobiliza conhecimentos de diferentes áreas e promove a interdisciplinaridade”, destaca o professor Michel Mendes. “Há brilho no olhar dos acadêmicos quando pensam o projeto”, complementa, destacando a elevada expectativa do grupo com a viagem.

Os professores Gisele Cemin e Michel Mendes atuam na coordenação do Projeto Rondon pela UCS
Gisele e Michel conhecem bem a rotina de um rondonista. Eles já tiveram essa experiência como acadêmicos. Agora, como docentes, o foco se redireciona. “Há uma nova perspectiva de atuação, uma maior responsabilidade de preparar o grupo, no sentido da qualificação. Como aluno, queria transformar o ambiente, repensar as práticas educativas, fazer mais. Como professor, continuo com essa intenção, mas o momento é de permitir que os alunos compreendam sua função e promovam melhorias na qualidade de vida, a partir das atividades propostas”.

Expectativa dos acadêmicos

Com o embarque agendado para 6 de julho, os acadêmicos da UCS seguem em preparação das atividades que vão realizar no Mato Grosso do Sul. Confira o que cada rondonista planejou para ajudar a comunidade de Jaraguari a melhorar seu desenvolvimento.
A expectativa é grande. Serão diversas universidades com mesmo objetivo. Estamos programando atividades de empreendedorismo e de reaproveitamento de alimentos. A meta é desenvolver o espírito empreendedor da comunidade, passando técnicas e estratégias para identificação de novos mercados, seja produzindo aromatizantes com ervas ou bolos gourmets. A criatividade é quem manda!”.
Bruno Camargo, 26 anos, Ciências Econômicas, Campus-Sede

“Durante a graduação, construímos uma base de conhecimentos teórica e o momento em que temos que colocá-la em prática se torna um grande desafio. Um dos focos de trabalho será a Educação Ambiental. Vamos desenvolver oficinais de reciclagem, de confecção de filtro caseiro, compostagem e confecção de sabonetes e atividades que visam o reaproveitamento de materiais que, em vez de irem para o lixo, e podem ser fonte de renda”.
Bruna De Toni, 24 anos, Ciências Biológicas, CARVI

“Espero poder deixar um pouco de mim em Jaraguari, compartilhar conhecimentos e absorver o que me for transmitido. Minhas atividades vão buscar identificar problemas externos e internos comuns às casas e que trazem transtornos no dia a dia. Queremos levar soluções de rápido acesso. Realizarei um trabalho de conscientização do uso da energia elétrica e da água”.
Indiana Facchin, 26 anos, Engenharia Civil, Campus-Sede

“Sinto-me feliz e ansioso ao mesmo tempo por participar do projeto. Sei que vamos nos deparar com realidades, culturas e vivências diferentes. Durante o projeto, trabalharemos em grupo para ensinar receitas com sobras de alimentos que, em vez de irem para o lixo, podem se tornar doces. Vamos desenvolver também projetos de reciclagem”.
João Vitor Morés Pereira, 21 anos, Ciências Biológicas, Campus-Sede

“Espero contribuir com atividades que façam a diferença no município e que a experiência de cidadania me proporcione alegrias e conhecimentos. Vou trabalhar com a construção de filtro caseiro e atividades recreativas com alunos no município, com dinâmicas de conscientização sobre a preservação de recursos hídricos e do meio ambiente, além de oficinas sobre ervas medicinais, compostagem e confecção de sabonetes artesanais”.
Kétini Mafalda Sacon Baccin, 21 anos, Ciências Biológicas, CARVI

“Espero sair da minha zona de conforto, conhecer outra realidade e vivenciar experiências humanitárias. Vou ministrar atividades sobre meio ambiente, boas práticas construtivas, gerenciamento de projetos, cooperativismo e empreendedorismo. São atividades em que posso aplicar os conhecimentos adquiridos na graduação para fomentar o desenvolvimento sustentável e estratégico para o município de Jaraguari”.
Nícolas Fioreze Dal Bó, 23 anos, Engenharia Civil, Campus-Sede

“Pretendo dar o meu melhor para ajudar as pessoas que moram no município, espero contribuir com conhecimentos teóricos, com conhecimentos de vida, de valores, de amizade e de afeto. Vou desenvolver oficinas de aproveitamento integral dos alimentos, atividades de educação nutricional e também farei avaliações para identificar qual o perfil nutricional do município”.
Thayná Chiavagotti Cavalli, 23 anos, Nutrição, Campus-Sede

“Estou muito otimista com a operação. A equipe elaborou uma série de atividades interessantes, que vão agregar muito para as comunidades. Apresentei duas propostas de atividades. Em ‘Caminhos de um Cocô’ vou demonstrar, através de uma maquete, o funcionamento do sistema hidrossanitário de uma casa. Na ‘Cartografia Participativa’, uma imagem aérea do município é impressa em tamanho A0, e os moradores têm a oportunidade de apontar elementos da cidade que eles consideram relevantes”.
Valdinei J. A. Garcia Junior, 23 anos, Arquitetura e Urbanismo, Campus 8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *