A Suécia está de volta às quartas de final de uma Copa do Mundo. Os suecos garantiram a classificação nesta terça-feira ao bater a Suíça por 1 a 0 em São Petersburgo, com um gol solitário do meia Emil Forsberg.

E tudo isso depois de dizer ‘não’ ao retorno do principal jogador da história do país ao time. Zlatan Ibrahimovic se aposentou da seleção após a Eurocopa de 2016 e até quis voltar após a classificação para a Copa do Mundo, mas acabou barrado pelo técnico Janne Andersson.

Assim, sem astros, a Suécia consegue o que Ibrahimovic nunca conseguiu: ir tão longe na Copa do Mundo. Os suecos não chegava às quartas desde 1994, quando avançaram ainda mais e acabram com a quarta colocação.

E mais: os suecos não venciam duas partidas consecutivas desde 1958, quando chegaram à final, mas perderam o título em casa para o Brasil de Pelé. Agora, bateram México e Suíça na sequência.

Agora, a expectativa é pelo rival das quartas de final, que sai do duelo entre Inglaterra e Colômbia. De qualquer forma, já se sabe que o jogo será disputado em Samara, às 11h (de Brasília) do próximo sábado (7).

Blitz sueca

Como já havia feito contra o México, a Suécia repetiu a estratégia de pressionar a saída de bola. E, de novo, conseguiu encaixar uma grande blitz no começo da partida. O problema foi acertar a pontaria!

Aos 7 minutos, Berg recebeu de frente para o gol e, de dentro da grande área, errou por muito o alvo. Quase que no lance seguinte, o atacante teve nova chance e desta vez até chutou com destino perfeito, mas viu Akanji aparecer no meio do caminho para salvar a Suíça. No rebote, Ekdal ainda teve nova oportunidade de frente, mas mandou por cima.

Aos 27, uma chance e tanto. E de novo com Berg. O atacante bateu com perfeição, cruzado, mas viu o goleiro Sommer se esticar todo para fazer uma defesaça.

Aquele bom 0x0

A Suíça tentou responder. Aos 33, Xhaka bateu com muito perigo de longe e mandou a bola tirando tinta do travessão. Cinco minutos depois, uma jogadaça entre Dzemaili e Zuber, que entraram tabelando na área. De frente, Dzemaili mandou por cima.

Mas a melhor chance do primeiro tempo cairia mesmo nos pés da Suécia. Já aos 40, Lustig cruzou com perfeição e achou Ekdal sozinho entrando na área. Só que meio-campista tentou pegar de primeira e errou por muito.

Até que enfim!

O segundo tempo começou com a mesma pressão sueca na saída de bola, mas sem tantas chances de gol.

Só que, aos 20 minutos, Forsberg finalmente conseguiu tirar o zero do placar. Ele recebeu na entrada da área, fez uma bela finta com o corpo e limpou a marcação sem nem encostar na bola para ficar com o caminho livre para chutar. A bola ainda desviou em Akanji e matou completamente as chances de Sommer.

Com tudo para cima

Atrás no placar, a Suíça finalmente resolveu jogar. Logo após o gol sofrido, colocou dois atacantes (Embolo e Seferovic) e tirou dois meio-campistas (Zuber e Dzemaili).

E o time realmente foi para cima em campo. Aos 34 minutos, teve chance clara. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para a finalização de Embolo. O chute tinha caminho certo, mas parou em Forsberg quase que em cima da linha.

A Suécia levantou um muro em frente ao seu gol. E na única outra vez que deixou a bola parar, viu o goleiro Olsen brilhar, defendendo cabeçada frontal de Seferovic.

No fim, os suecos quase marcaram o segundo em contra-ataque. Olsson ficou de frente para o goleiro e foi derrubado por Lang. O juiz chegou a marcar pênalti, mas reviu o lance, deu falta fora da área e expulsou o lateral suíço. Na cobrança, Sommer até fez boa defesa em chute de Toivonen.

Mas já não havia tempo para mais nada. Só para a festa sueca!