Nos cinemas: duas ótimas estreias vindas da Alemanha

O dramático “Em Pedaços” e o tenso “Western” olham por ângulos opostos o sentimento anti-imigração

Quase se pode dizer que são três filmes em um só. No primeiro ato de Em Pedaços, vê-se como é feliz o casamento da alemã Katja (Diane Kruger) com o curdo Nuri (Numan Acar), contra todas as probabilidades: ela era viciada, ele era o seu traficante, e a união foi celebrada na cadeia. Agora, eles têm um filho de seus 7 anos e Nuri vive dentro da lei, tocando uma pequena agência de viagens num bairro de imigrantes de Hamburgo. Uma bomba caseira, porém, arrasa a vida de Katja – que, no segundo ato do filme, tenta obter justiça no tribunal contra os autores do atentado, cuja juventude e motivação tornam o crime ainda mais chocante. Do último ato, é melhor não falar: ele é o mais irregular mas também o mais dramático e perturbador na maneira como faz Katja ir e vir na sua decisão de acertar as contas pelos próprios meios. Fatih Akin, alemão de origem turca e diretor dos pesados Contra a Parede e Do Outro Lado (e do otimista e muito simpático Soul Food), faz aqui seu trabalho mais bem estruturado e bem filmado. É sofrido e desanimador, mas vem iluminado pelo desempenho visceral de Diane Kruger.

Western Western

Western (Zeta/Divulgação)

Já Western, da diretora Valeska Grisebach, pega a tensão racial e cultural europeia por um ângulo inusitado, e extremamente instigante. Numa região isolada da Bulgária, um grupo de operários alemães trabalha numa obra. Eles não falam uma palavra de búlgaro, e seu único intérprete, um russo, mal consegue dar conta de diálogos triviais. Estão frustrados também com a falta de água e de material para tocar a construção. Mas, em contrapartida, gostam da sensação de estarem livres de regras e amarras. De cara, hasteiam uma bandeira alemã na casa que ocupam – uma afronta num país que fez o que pôde para varrer para baixo do tapete sua submissão à Alemanha nazista durante a II Guerra. Num passeio à beira do rio, provocam uma das mulheres da única aldeia próxima, e despertam de vez a hostilidade dos locais. Enquanto Vincent (Reinhardt Wetrek), o chefe da equipe e autor das desfeitas, tenta contemporizar (e acrescenta novos insultos à lista enquanto o faz), Meinhard (o espetacular Meinhard Neumann), o mais reservado do grupo de operários, pouco a pouco vai caindo nas graças dos búlgaros – até também ele cruzar uma linha invisível, mas decisiva. Com um olho magistral para escalar seus atores (todos não-profissionais) e para controlar a tensão num daqueles enredos em que pouco acontece, mas tudo pode acontecer, Valeska Grisebach retoma um dos motes do faroeste – o do forasteiro que chega à cidadezinha – para inverter os sinais do sentimento anti-imigração que vem ganhando força em seu país: os alemães, aqui, com o poderio e a arrogância que o restante da Europa percebe na sua nação mais rica e influente, é que são o corpo estranho numa cultura cujas regras não compreendem e não conseguem seguir a contento.

TRAILERS

EM PEDAÇOS
(Aus dem Nichts)
Alemanha/França, 2017
Direção: Fatih Akin
Com Diane Kruger, Numan Acar, Denis Moschitto, Ulrich Tukur, Ulrich Brandhoff, Hanna Hilsdorf
Distribuição: Imovision
WESTERN
Alemanha/Bulgária/Áustria, 2017
Direção: Valeska Grisebach
Com Meinhard Neumann, Reinhardt Wetrek, Syuleyman Alilov Letifov, Veneta Fragnova, Viara Borisova
Distribuição: Zeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *