Economia: O futuro do varejo está na palma da mão do consumidor

Portrait of a surpurised young woman holding a mobile and shopping bags

Nova Iorque – O consumidor está cada vez mais empoderado e isso passa pelo mobile, prova disso é que 70% dos adultos dorme com o celular ao lado da cama. “Essa tendência muito forte permeou os 550 estandes da NRF 2018, além das palestras, que destacaram muito o conceito: como trabalhar serviços para criar experiência, integração de canais, fechamento de compra e aproximação com o consumo. Ou seja, o futuro do varejo está na palma da mão do consumidor, mas a união entre os mundos real e virtual é a combinação perfeita para atrair clientes e aumentar as vendas”, ressalta o gerente de Indústria, Comércio e Serviços do Sebrae/RS, Fábio Krieger, que acompanha o grupo de empreendedores gaúchos ao maior evento mundial do varejo, em Nova Iorque. A feira NRF 2018 iniciou em 14 de janeiro e encerrou nessa terça-feira, 16.

 

Outro aspecto observado por Krieger durante o evento é a importância das parcerias, tendo em vista a complexidade do varejo e a transformação do mundo digital. A empresa Coca-Cola, por exemplo, para resolver um déficit de 1 bilhão de dólares, se associou a um grande supermercado para não deixar faltar seus produtos no estoque. A Cisco, um grande player mundial, lançou mão de várias empresas para distribuir a sua tecnologia globalmente. “São os grandes empreendimentos demonstrando que não conseguem resolver seus problemas sozinhos. Portanto, trabalhar através da colaboração é outro caminho de sucesso para o varejo”.

publicidade:

 

Buy online, pick up real

 

“O que vimos na NRF foi um forte incremento do que os americanos chamam de ‘buy online, pick up real’, ou seja, nos últimos anos, aumentou a opção em que o consumidor faz a compra pela internet, mas retira o produto em pontos físicos”, explica o coordenador de projetos da Gerência de Indústria, Comércio e Serviços do Sebrae/RS, Fabiano Zortéa, que também acompanha a missão empresarial com vários empreendedores gaúchos ao evento internacional.

 

Em outras palavras, os pesquisadores sobre comportamento de consumo explicaram que a opção de retirada de produtos em lojas ou pontos de coleta é uma tendência que vem se confirmando, pelo menos, desde 2011. Os clientes gostam da sensação de retirar a compra, pois fica conveniente no tempo dele, deixa de depender de entregadores ou logísticas que atrasam e frustram expectativas e ainda podem “espiar” algo novo na loja.

 

Segundo Zortéa, houve ainda revelações de equipes da marca Apple, dona do smartphones iPhone, contando que 80% do tempo gasto pelos usuários de celular é em aplicativos e que 25% de todo o comércio eletrônico se dá na ferramenta celular e não em computadores de mesa. “Isso significa que ‘o mobile’ já está se tornando a preferência de uso das pessoas e, portanto, o consumo deve ser cada vez mais realizado pelas vias eletrônicas com celulares”, resume o coordenador do Sebrae/RS.

 

Depois do evento, a Missão Empresarial do SEBRAE/RS, realizada em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL), o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas), a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) e a Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio/Senac), iniciou uma agenda que foi planejada para os perfis das empresas gaúchas que estão acompanhando a programação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *