SAÚDE: Nem todo movimento é saudável…

Hoje em dia a ciência já comprovou a real importância da atividade física regular e planejada.
Logo pensamos em movimento, que nada mais é o ato combinado de postura e controle na presença de padrões ativos e reativos, diferente de locomoção que é o ato de mover a si mesmo.

Da mesma forma que a falta de movimento não é benéfico ao aparelho locomotor, o excesso de movimento e/ou movimento ruim podem causar dor/lesão. Sendo assim, devemos pensar na qualidade do movimento.
O que seria um movimento bom ou ruim?

Ao falarmos de movimento ou gesto motor não podemos deixar de citar os tecidos moles (músculos, tendões, ligamentos, cartilagens, etc.) e as articulações, principais responsáveis para que o movimento aconteça. Não iremos nos aprofundar em suas composições e sim em suas funções.

Você sabia que toda articulação tem a sua função predominante?

As nossas principais articulações possuem funções predominantes, tais como:
Tornozelo – Mobilidade
Joelho – Estabilidade
Quadril – Mobilidade
Coluna Lombar – Estabilidade
Coluna Torácica – Mobilidade
Escapulo-torácica – Estabilidade
Glenoumeral – Mobilidade

O que é Estabilidade e Mobilidade?

Estabilidade é a habilidade de controlar o movimento em segmento particular na presença de força, tensão, carga e movimento, existindo dois tipos: a estática e a dinâmica.

Estática – controle isométrico de todas as direções

Dinâmico – controle da integridade e do alinhamento articular em uma direção ou plano.

Mobilidade é a liberdade do movimento em segmentos móveis. O termo amplamente engloba tanto a amplitude articular do movimento quanto a flexibilidade tecidual e muscular.

Quando uma de suas articulações por algum motivo (lesão, falta de movimento, compensações posturais, etc.) não realiza sua função predominante, sua articulação anterior ou posterior será sobrecarregada. Uma articulação com predominância de mobilidade passa a fazer o papel de uma estabilizadora, a mesma será uma grande candidata a dor ou lesão.

Um exemplo que podemos utilizar, em um movimento que envolva as articulações de tornozelo (mobilidade) e joelho (estabilidade), que por algum motivo a articulação do tornozelo perdeu sua principal característica, por uma ação compensatória a articulação do joelho passa a ter a necessidade de realizar uma função na qual não é sua predominância, ou seja, uma articulação estável tendo que ser móvel, isso causará uma instabilidade. O que acarretara em uma sobrecarga e consequentemente grandes possibilidades de lesão e/ou dor na mesma.

Ao realizar um movimento, no qual lhe causou dor, deve-se sempre ficar em alerta, pois não devemos sentir dor ao realiza-lo, desde que seja respeitado a sua amplitude articular.
Para um movimento ser considerado “bom”, as articulações têm que seguir suas principais funções, limitações e individualidade biológica.

Portanto, nem todo movimento é saudável…Consulte sempre um profissional da área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *