Spotify é processado em US$ 1,6 bilhão por direitos autorais

Empresa que administra direitos de Neil Young e Janis Joplin afirma que o serviço de streaming disponibiliza canções pelas quais ele não pagou integralmente

Spotify está sendo processado em 1,6 bilhão de dólares (5,2 bilhões de reais) pela empresa Wixen, que administra os direitos autorais de canções de nomes como Neil Young, Janis Joplin e a banda The Doors. Segundo o site do jornal britânico The Guardian, a empresa afirma no processo que o serviço de streaming de música tem canções pelas quais ele não pagou integralmente.

A Wixen diz que o Spotify “pegou um atalho” quando fez um acordo com grandes gravadoras para disponibilizar as canções em seu catálogo. De acordo com o processo, as leis americanas garantem que cada música tem duas divisões de direitos autorais, uma para a gravação e outra para a composição. A empresa afirma que o Spotify não pagou pelos direitos de composição de mais de 10.000 canções – ela pede 150.000 dólares por cada música.

O Spotify já enfrentou processos parecidos no passado. Em 2016, por exemplo, o serviço de streaming pagou mais de 20 milhões de dólares por direitos a várias empresas. Já em 2017, entrou em acordo com três empresas de administração de direitos, desembolsando mais de 43 milhões de dólares.

A notícia sobre o novo processo surge exatamente no momento em que a empresa parece estar se preparando para se tornar pública e aceitar investimentos de fora. De acordo com o site Axios, o Spotify deu entrada nos documentos para abertura de capital em dezembro.

publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *